Descrição de chapéu Cinema

Onze coisas curiosas e irritantes que você precisa saber sobre o Oscar 2020

Estrangeiros que foram além de 'Parasita', cilada da indicação dupla, ausência de 'big five', Coringa pelo bi

São Paulo

Outros filmes estrangeiros já ganharam mais indicações ao Oscar do que "Parasita", a indicação dupla —melhor atriz e atriz coadjuvante— pode não render prêmio nenhum, este ano não tivemos indicados ao "big five" —filmes que concorrem às cinco categorias nobres— e o personagem Coringa pode ser bicampeão na premiação.

Essas são algumas das curiosidades das indicações ao Oscar, anunciadas na manhã desta segunda (13). Veja algumas que podem ajudar na hora do bolão.

Filme estrangeiro
Todos estão vibrando com as seis indicações do sul-coreano “Parasita”, incluindo as de melhor filme e direção, além de filme internacional. Mas outros títulos estrangeiros já foram além: o italiano “A Vida É Bela”, por exemplo, teve sete indicações em 1999; dois anos depois, “O Tigre e o Dragão” somou dez nomeações, marca igualada por "Roma", no ano passado. Todos venceram como filme estrangeiro, mas perderam na principal.

Obamas na área
Antes de você começar a torcer loucamente pelo documentário brasileiro “Democracia em Vertigem”, é bom lembrar que um dos concorrentes é “American Factory”, primeira produção do casal Obama para a Netflix; na plataforma, é possível inclusive ver um vídeo dos diretores falando sobre o filme com Barack e Michelle.

Indicação dupla
Scarlett Johansson está duplamente indicada: atriz e atriz coadjuvante. Se deu bem, certo? Não exatamente. Isso já aconteceu em outras 11 ocasiões e muitas vezes o ator perde duplamente. A última vez foi em 2008, com Cate Blanchett perdendo por “Elizabeth - A Era de Ouro” (atriz) e “Não Estou Lá” (coadjuvante).

Equilíbrio inédito
Quatro títulos tiveram ao menos dez indicações: “Era uma Vez em… Hollywood”, “1917”, “O Irlandês” e o recordista “Coringa”, com 11; ano passado, só dois filmes conseguiram dez indicações, “Roma” e “A Favorita” —e perderam o prêmio de melhor filme para “Green Book”. 

Recorde?
Caso “Coringa” consiga a façanha de vencer em todas as categorias que disputa, se juntará aos três maiores vencedores da história: “Ben-Hur” (1959), “Titanic” (1997) e “O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei” (2003), todos com 11 prêmios.

Coringa rumo ao bi
Se Joaquin Phoenix vencer o Oscar, será o segundo do personagem Coringa. Heath Ledger ganhou com o vilão um Oscar póstumo pelo filme “Batman - O Cavaleiro das Trevas”, em 2009.

Sem "big five" neste ano
Nenhum filme conseguiu indicações para as cinco categorias nobres do Oscar: filme, direção, ator, atriz e roteiro.

Sem direção
É difícil um filme vence o Oscar principal sem nem sequer ter sido indicado entre os diretores. Mas aconteceu recentemente com "Green Book - O Guia", do não indicado Peter Farrelly, e em 2013, com “Argo”, do não indicado Ben Affleck. Assim, “Adoráveis Mulheres”, “Ford vs. Ferrari”, Jojo Rabbit” e “História de um Casamento” já correm por fora.

Filmes de meninos
Dos cinco diretores indicados, pelo menos quatro são de filmes com forte presença masculina: “O Irlandês”, “1917”, “Coringa” e “Era uma vez em… Hollywood”; o quinto é “Parasita”. 

Fim da urucubaca
Por décadas o diretor de fotografia Roger Deakins acumulou indicações e derrotas, foram 12 ao todo. A maldição acabou com sua última nomeação, por “Blade Runner 2049”. Agora, Deakins pode ganhar novamente, por “1917”.

Netflix animada
Disney? Que nada. Com “O Rei Leão” e “Frozen 2” fora do páreo de melhor animação, o único Disney na corrida é “Toy Story 4”. Já a Netflix emplacou dois títulos: “Klaus” e “Perdi Meu Corpo”.

Erramos: o texto foi alterado

O filme mais recente a vencer o Oscar sem estar indicado para direção foi "Green Book - O Guia", e não "Argo". O texto foi corrigido.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.