Patricia Pillar se diz perplexa e deve debater 'ódio do governo' com artistas

A atriz disse que 'não há diálogo com esse governo', sobre comitiva que levaria demandas a Regina Duarte na Cultura

São Paulo

"Não há diálogo com esse governo e sim uma perplexidade nossa diante dos fatos recentes", disse a atriz Patrícia Pillar sobre a possível criação de uma comitiva de artistas para levar demandas da classe à atriz Regina Duarte, convidada de Bolsonaro para a pasta da Cultura.

Patricia Pillar em cena da série 'Onde Nascem os Fortes'
Patricia Pillar em cena da série 'Onde Nascem os Fortes' - Divulgação

A informação de que Pillar estaria articulando um encontro com outros artistas para debater o tema foi adiantada pelo jornal O Globo, segundo o qual havia uma reunião marcada para esta quarta (22) na casa da atriz. Pillar, porém, nem confirmou a informação e nem a desmentiu.

 

A atriz restringiu-se a indicar que existe a ideia de fomentar encontros. "Precisamos trocar ideias entre nós sobre o ódio deste governo às artes e o desmonte promovido por eles na Cultura, apenas isso. E lutar, sempre, para que nada esteja acima da Constituição", finalizou, antes de interromper a conversa.

Regina afirmou nesta segunda à coluna Mônica Bergamo que fará testes na Secretaria Especial da Cultura, do governo federal, para depois responder se vai assumir ou não a pasta. Ela também confirmou sua parceria com o governo Bolsonaro em um post no instagram nesta terça (21).

Se assumir, Regina será o quarto nome na mesma cadeira. O diretor e dramaturgo Roberto Alvim foi demitido do mesmo cargo na última sexta depois de publicar um vídeo no qual copia frases de Joseph Goebbels, ministro de Hitler na Alemanha nazista.

Nesta segunda, ele publicou texto no Twitter dizendo desconfiar que por trás do episódio houve uma "ação satânica".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.