Suspeito de ataque chama integrantes do Porta dos Fundos de 'marginais' e 'bandidos' em vídeo

Foragido, Eduardo Falzi publicou mensagem nas redes sociais contra o grupo de humor

São Paulo

Suspeito de participar do ataque à sede da produtora do programa humorístico Porta dos Fundos, Eduardo Falzi Richard Cerquise publicou nas redes sociais, nesta quarta-feira (1º), um vídeo em que chama os integrantes do grupo de "criminosos, marginais, bandidos".

O empresário de 41 anos está foragido e é investigado pela polícia por ter atuado no ataque. Nele, homens encapuzados arremessaram coquetéis molotov no edifício que serve de sede da produtora, na madrugada do dia 24.

retrato de homem com cabelo muito curto, sem barba ou bigode, com os olhos um pouco fechados
O empresário Eduardo Falzi Richard Cerquise, 41, suspeito de ser um dos autores dos ataques ao Porta dos Fundos. - Divulgação/Polícia Civil

A agressão aconteceu depois que o especial de Natal do Porta dos Fundos, "A Primeira Tentação de Cristo", gerou polêmica ao retratar Jesus Cristo como homossexual.

No vídeo divulgado nesta quarta, Falzi tece críticas ao média-metragem: "Quando o Porta dos Fundos escarnece do nome de nosso Senhor, Jesus Cristo, ele pisa na esperança de milhões de pessoas que só têm Jesus Cristo como riqueza".

"O que eles querem não é fazer graça, porque dizer que Jesus era amante homossexual do demônio não tem graça nenhuma. [...] Eles fazem de maldade, é maldade o que eles têm no coração."

Ele encerra o vídeo dizendo "anauê", saudação utilizada pela Ação Integralista Brasileira, movimento conservador, católico e nacionalista que surgiu nos anos 1930.

Nesta terça (31), a Polícia Civil do Rio de Janeiro realizou uma operação para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão contra Falzi.

O acusado ainda está sendo procurado e é considerado foragido pela polícia. Ele era o único que não estava utilizando capuz na hora do ataque.

O suspeito possui dezenas de anotações criminais e respondia em liberdade de condenação à prisão. Em 2013, ele agrediu Alex Costa, secretário de Ordem Pública do Rio, durante entrevista coletiva convocada pela prefeitura. Agora, é acusado de tentativa de homicídio por explosão.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.