Descrição de chapéu Coronavírus

Saiba que peças, shows, filmes e exposições ver online durante quarentena

Indústria cultural dribla isolamento imposto por coronavírus migrando para plataformas virtuais

São Paulo

Com a pandemia do novo coronavírus, shows que aconteceriam nas próximas semanas foram cancelados ou adiados. Salas de cinema, museus, teatros e galerias foram fechados. Mas muitos deles migraram para o mundo online.

Para enfrentar o momento de reclusão, artistas e produtores ao redor do mundo estão se movimentando para levarem seus trabalhos para a internet. A mostra de documentários É Tudo Verdade, por exemplo, agora vai ter uma parte de seus filmes exibidos digitalmente. Já o Museu do Louvre, em Paris, fechado por tempo indeterminado, convida turistas para a visitação virtual de suas salas.

Músicos de dentro e fora do Brasil estão organizando apresentações com transmissões ao vivo de suas casas ou a partir de casas de show, enquanto a casa de orquestra Filarmônica de Berlim disponibilizou —de graça pelos próximos dias— seu acervo de centenas de apresentações gravadas no local.

Confira abaixo uma lista.

SESC

O Sesc São Paulo stá disponibilizando uma série de conteúdos online gratuitos Filmes, séries, podcasts, artigos e vídeos sobre música, teatro, literatura, dança, cinema, esporte, e artes plásticas podem ser encontradas no site e na plataforma SescTV.

MÚSICA

  • Sempre às terças e quintas-feiras, na página do YouTube da Sala São Paulo, assista a obras gravadas em temporadas anteriores da Orquestra Sinfônica de São Paulo (Osesp).

  • Os shows do festival online "One World: Together at Home" está disponível no YouTube.

  • O Coro Internacional da Ópera, em Roma, também suspendeu suas atividades, e por isso, disponibilizou salas virtuais de ensaios artísticos. Arquivos com gravações feitas em celular por coralistas foram reunidos em um trabalho que pode ser visto no YouTube.

  • A revista americana Billboard também está transmitindo apresentações caseiras, em sua seção de vídeos do Facebook. JoJo e Josh Groban estão entre os artistas que já gravaram seus shows.

  • O selo Biscoito Fino disponibilizou shows lançados em DVD, incluindo registros ao vivo de Chico Buarque, Gal Costa, Alcione, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho, entre outros. Os vídeos estão disponíveis no YouTube da gravadora.
  • A gravadora Third Man Records, de Jack White, divulgou uma ação diária, em que promove performances no Blue Room, em sua sede, em Nashville. O primeiro episódio foi com Luke Schneider.

  • A cantora Anitta está fazendo uma série de com a comentarista da CNN que ganhou fama no programa “O Grande Debate”. Elas conversaram sobre política nacional.

  • O produtor Diplo está apresentando sets como DJ todos os dias, direto de sua casa. É possível assistir às apresentações no canal dele no YouTube.

  • A Orquestra Petrobras Sinfônica passou disponibilizou diversos vídeos inéditos de suas apresentações no seu canal no YouTube.

  • A cantora Miley Cyrus lançou uma espécie de programa online com conversas com convidados no Instagram. Mesmo sem cantar nas transmissões, ela aparece em casa conversando com os fãs. Entre os episódios, há uma conversa com a cantora pop Demi Lovato.

  • A casa Metropolitan Opera lançou o Nightly Met Opera Streams, em que libera diariamente, às 20h30, performances da série “Live in HD” —com gravações de óperas para serem exibidas no cinema— para serem assistidas na internet. Os vídeos ficam disponíveis por 23 horas e podem ser vistos no site da instituição.
  • A banda de indie pop espanhola Hinds publicou alguns tutoriais de como tocar suas músicas. O primeiro deles contou com dicas de como tocar o “Come Back and Love Me”.

  • A cantora Charli XCX não está soltando a voz na câmera de seu celular, mas nem por isso deixou de oferecer conteúdo aos fãs em quarentena. Ela está compartilhando um diário, com pensamentos e reflexões sobre o período de reclusão

  • Semanalmente, a Orquestra Sinfônica de Londres está transmitindo um espetáculo em seu canal do YouTube.

  • A plataforma de streaming de ópera operavision.eu está disponibilizando seu arquivo para acesso gratuito, além de seu canal no YouTube. Além das apresentações gravadas, há um festival dedicado a Mozart previsto para ser transmitido ao vivo no fim do mês.


CINEMA

  • A Universal Pictures está disponibilizando filmes para consumidores em casa e em cinemas do mundo todo no mesmo dia de lançamento, o primeiro foi a animação “Trolls World Tour”.

  • Alguns filmes também têm liberado links individuais. É o caso de "A Morte de J.P. Cuenca", dirigido pelo escritor João Paulo Cuenca e inspirado no seu livro "Descobri que Estava Morto", que pode ser assistido aqui. A animação "Wood & Stock: Sexo, Orégano e Rock’n’Roll", baseado nos quadrinhos de Angeli, pode ser vista no YouTube.

TELEVISÃO

  • A operadora Claro TV liberou por tempo indeterminado todos os seus canais, com exceção de HBO Premium, Fox Premium e os canais em Pay-Per-View.
  • A Sky TV também liberou diversos canais tanto via sinal aberto quanto via streaming pelo SKY Play. Dentre os canais estão o A&E, AMC, Animal Planet, Arte 1, AXN, Band News, Band Sports, BBC, Bis, Boomerang, Canal Brasil, Cartoon Network, CNN, CNN Brasil, Comedy Central, Discovery, Discovery H&H, Discovery Kids, E!, GloboNews, GNT, Megapix, MTV, Multishow, Nickelodeon, OFF, Paramount, Sony Channel, SporTV, Universal Channel, Viva e Warner.
  • A Amazon Prime Video disponibilizou, gratuitamente, diversos programas e filmes infantis em todo o mundo.

ARTES PLÁSTICAS

  • O Museu de Arte do Rio (MAR) disponibilizou gratuitamente diversos conteúdos online, que reúnem podcasts, webséries, textos e imagens sobre o acervo e a história do Museu. Há ainda conteúdos inéditos para conferir. Para acessar, basta ir ao o site.
  • O Museu de Arte Moderna (MAM) liberou algumas exposições online que já foram expostas no museu. Acompanhe também toda terça-feira um novo quiz em seu perfil no Instagram.
  • A campanha #Misemcasa, do Museu da Imagem e do Som –fechado por tempo indeterminado, em razão do coronavírus– traz diariamente novos conteúdos digitais, no canal do YouTube e em todas as plataformas do Museu. No acervo, há filmes, informações sobre exposições, entre outros.
  • Fechados por tempo indeterminado, museus e centros culturais também têm investido em produção de conteúdo para as redes e lembrado seus visitantes dos recursos que mantêm online. Lá fora, instituições como o Museu do Louvre, em Paris, e o Smithsonian, com filiais em Nova York e Washington, oferecem em seus sites tours virtuais de exposições atuais e passadas. Já o Metropolitan, também em Nova York, fez há três anos vídeos em 360º mostrando as suas dependências —eles estão disponíveis no YouTube.
  • A maior plataforma de artes plásticas na internet é, no entanto, o Google Arts & Culture. O projeto reúne exposições virtuais —em que uma ou mais obras são exibidas em detalhes, acompanhadas de explicações sobre técnica e biografia do artista, entre outros— visitas semelhantes àquelas do Google Maps, e artigos temáticos sobre movimentos artísticos e personalidades importantes. Embora museus como o Van Gogh, em Amsterdã, e D'Orsay, em Paris, estejam a um clique de distância ali, também é possível visitar os corredores do Masp, da Pinacoteca, e até do Museu Nacional, destruído pelo fogo há dois anos. Quem quiser aproveitar o período de quarentena para aprender mais sobre arte também pode aproveitar para explorar as coleções dos mais de mil museus no serviço.
  • Museu da Imigração disponibilizou conteúdos digitais gratuitos para período em que permanecer fechado. O acervo digital tem cerca de 250 mil imagens sobre a história da imigração em São Paulo.
  • O Museu de Arte de São Paulo (MASP) preparou alguns conteúdos digitais para continuar levando arte ao público enquanto estiver fechado. E a partir de 6 de abril, todas segundas e sextas-feira, às 18h, seguidores poderão acompanhar lives no Instagram com conversas entre curadores do museu e convidados.
  • O Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS) disponibiliza informações e acesso a itens que compõem seus acervos museológico e bibliográfico, incluindo acesso a coleções de fotografia, áudio e vídeo
  • Há ainda muitos vídeos, artigos e podcasts que estão pipocando em sites como o do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA).
  • O prédio do museu Guggenheim de Nova York, desenhado por Frank Lloyd Wright, está fechado, mas as exposições podem ser exploradas no site e nas redes sociais pela hashtag #MuseumFromHome. O podcast "99% Invisible" disseca a história do emblemático imóvel. Materiais didáticos continuam disponíveis online. Conteúdo também é disponibilizado no canal do museu no YouTube.

TEATRO

  • Com o cancelamento dos musicais tradicionalmente preparados pelas escolas americanas, a atriz vencedora do Tony Laura Benanti pediu que estudantes postassem vídeos com as performances que estavam ensaiando. “Quero ser sua plateia”, ela disse. Desde então, a página dela no Twitter está repleta de vídeos de crianças americanas cantando sozinhas ou em grupo.
  • A Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, que foi interrompida pela pandemia em março, exibe a versão online de um dos espetáculos mais aguardados da edição deste ano, que acabou não sendo apresentado: "Sopro", do ator, diretor e dramaturgo português Tiago Rodrigues.

LITERATURA

  • A Amazon disponibilizou uma série de livros digitais para download grátis. Para baixar os conteúdos, baixa acessar o site.
  • O escritor Paulo Coelho liberou, gratuitamente, alguns de seus livros para download. Os títulos –disponíveis em português, inglês, italiano, francês e espanhol– estão no seu blog.
  • A editora n-1 edições criou um projeto chamado "pandemia crítica", que disponibiliza textos online sobre a atual situação atual mundial e inicia o lançamento de todo seu catálogo no formato e-books.
  • A editora LP&M está disponibilizando gratuitamente, desde o dia 18.mar, um e-book por dia.
  • A plataforma Auti Book liberou gratuitamente dez audiobooks de clássicos da literatura infanttil.
  • O projeto Sacadas Literárias traz escritores e leitores lendo poemas e trechos de livros em suas varandas ao redor do mundo.

DANÇA

  • A Cisne Negro Cia. de Dança, lançou um cronograma repleto de atividades e inteirações em suas redes sociais. Serão disponibilizadas aulas de Ballet clássico, Danças populares brasileiras, Yogae Condicionamento físico.

  • Desde o dia 26 de março, o projeto Dance em Casa, vídeos de 15 a 60 segundos compartilhados nas redes sociais. Semanalmente, novas coreografias serão compartilhadas, tanto nos perfis dos autores dos vídeos, quanto nas agregadoras: Portal MUD, Agenda de Dança, Criticatividade e Conectedance.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.