Debates dos filmes do caso Richthofen e 'O Poço' são destaques desta terça

Eventos do dia de quarentena por causa do coronavírus incluem lives do Jeito Moleque e de Israel Novaes

São Paulo

Com o avanço do coronavírus, as atividades culturais estão suspensas de modo geral. Neste cenário, artistas e produtores estão fazendo shows caseiros transmitidos nas redes sociais, estreias de cinema migraram para o streaming, canais de TV abriram seus sinais, museus promovem visitas virtuais e vídeos de espetáculos de dança e de teatro foram disponibilizados na internet.

Para melhorar sua quarentena, preparamos uma lista de conteúdos para serem consumidos em casa nesta terça (28).

CINEMA

O filme “O Poço”, do diretor espanhol Galder Gaztelu-Urrutia é tema de uma conversa, mediada pela psicanalista Luciana Saddi e promovida pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, a Folha e o Museu da Imagem e do Som, o MIS, entre o psicanalista José Canelas e o jornalista Leonardo Sanchez, repórter da Ilustrada.

O longa, recentemente lançado pela Netflix, compõe a lista de títulos com maior acesso na plataforma atualmente.

O debate será exibido no canal do MIS no YouTube, partir das 20h. O público poderá enviar perguntas ao vivo pelo chat.

"A Menina que Matou os Pais" e "O Menino que Matou Meus Pais", filmes inspirados no famoso caso Richthofen, que tinham estreias marcadas para o dia 19 de março e foram adiados devido à pandemia do novo coronavírus, serão discutidos a partir das 19h entre o diretor Maurício Eça e os roteiristas Ilana Casoy e Raphael Montes. A live pode ser vista nos perfis do Instagram da Cinemark e da Galeria Distribuidora.

O crime, que chocou o Brasil, ocorreu em 2002 na zona sul de São Paulo. Quatro anos depois, Suzane, filha do casal assassinado, e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos foram condenados a quase 40 anos de prisão.

Os longas narram a história do caso a partir de duas versões, a de Suzane e a de seu ex-namorado, Daniel Cravinhos.

MÚSICA

Aumentando a lista dos sertanejos que têm feito lives superproduzidas, o cantor Israel Novaes fará uma apresentação a partir das 19h, em seu canal no YouTube.

Já os amantes de pagode poderão curtir o show da banda paulistana Jeito Moleque, que fará uma live no Festival Ame Fazer Sua Parte, a partir das 20h, no canal do grupo.

O cantor Rael também fará uma live, a partir das 19h, no festival Sesc ao Vivo. O show será exibido nos perfis do Sesc no YouTube, no Facebook e no Instagram.

Além das dicas de lives, o cilpe recém-lançado "Não Existe Amor em SP", de Criolo, Milton Nascimento e Amaro Freitas, é uma opção para aproveitar o isolamento.

A música, que é uma releitura da faixa de mesmo nome, faz parte do projeto “Existe Amor”, um EP com lançamento previsto para maio deste ano e, ao mesmo tempo, uma campanha solidária às pessoas em situação de vulnerabilidade social durante a pandemia do novo coronavírus.

"Esse projeto para mim é como um sonho. Depois de tantas coisas maravilhosas que eu vivi nestes mais de 50 anos de carreira, nunca pensei que fosse ter o privilégio de participar de algo tão intenso como este", afirmou Milton.

ARTES PLÁSTICAS

Para celebrar os dois anos de funcionamento, a Casa Roberto Marinho, dirigida pelo arquiteto e antropólogo Lauro Cavalcanti, criou uma série de ações digitais, que podem ser acessadas no site do instituto.

Vídeos de diversos artistas, curadores e personalidades que fazem parte da instituição serão disponibilizados ao público. Beatriz Milhazes, Beth Jobim, Iole de Freitas, Luiz Áquila, Maria Bonomi e Paulo Climachauska são alguns dos nomes que compõem a programação.

A galeria Luciana Brito estreia sua nova plataforma de vídeo nesta terça e promete disponibilizar uma série de vídeos artísticos, produzidos em diferentes épocas e países. A cada semana, um novo conteúdo será disponibilizado no site da galeria.

Batizado "Festival de Vídeo Online" , o projeto exibirá trabalhos de artistas como Regina Silveira, Hector Zamora, Eder Santos, Marina Abramovic, Pablo Lobato, Anthony McCall e Rochelle Costi.

"Corda" (2014), de Pablo Lobato, foi a obra escolhida para inaugurar a plataforma e narra tensões geradas entre os romeiros da procissão católica Círio de Nazaré em busca de relíquias.​

TEATRO

A partir desta terça, estão abertas as inscrições para a segunda turma do curso de ensino a distância "Dramaturgia Negra: A Palavra Viva", com orientação da dramaturga Dione Carlos.

O curso é voltado a profissionais e pesquisadores das artes cênicas e propõe o estudo das influências difundidas na formação teatral e suas heranças indígenas-afro-brasileiras.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.