Morre Ângelo Leuzzi, DJ da noite paulistana e fundador da Rose Bom Bom

Empresário, vítima de um infarto fulminante aos 64 anos, foi homenageado por amigos e parentes

São Paulo

O DJ e empresário Ângelo Leuzzi morreu, aos 64 anos, após um infarto fulminante na noite desta quarta-feira (22). Leuzzi foi fundador de várias casas noturnas, entre elas a Rose Bom Bom, e ganhou notoriedade na noite paulistana nos anos 1990.

A estilista Flavia Ceccato, que foi casada com o DJ e fundou, junto a ele, o clube Lov.e Club & Lounge, disse em seu perfil no Facebook que agradece ao ex-marido por cada ensinamento que lhe proporcionou e lamentou sua morte. Além da estilista, outros membros da classe artística postaram homenagens a Leuzzi nas redes sociais.

O DJ e idealizador da festa "Foda", Pill Marques, definiu Leuzzi como um visionário e afirmou que "a noite de São Paulo é dividida em antes de depois de Ângelo". Para a jornalista e também DJ Claudia Assef, o sucesso de Marques pode ser explicado pela importância que Leuzzi teve neste universo da vida noturna paulistana.

O empresário Ângelo Leuzzi, que está abrindo uma nova casa noturna, o Lov.e Club & Lounge, no Itaim Bibi, em São Paulo
O empresário Ângelo Leuzzi - Mujica/Folhapress

"O legado do Ângelo é muito importante. Ele é o cara que trouxe muitos conceitos ao Brasil. Quando ele fundou a Rose Bom Bom, por exemplo, trouxe o conceito de danceteria. Ele tinha ido a Nova York, visto isso e trouxe para cá. Depois, implementou aqui a ideia do 'afterhours'", afirmou Assef à Folha. "Ele foi o cara que ajudou a construir a cultura do ser DJ no Brasil."

​Ângelo Leuzzi deixa dois filhos, Lucca e Kali.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.