Descrição de chapéu Cinema

Representante do Festival de Veneza critica Cannes por indefinição de data

Em entrevista a agência de notícias italiana, ele negou possibilidade de colaboração entre os dois eventos

São Paulo

O presidente da Bienal de Veneza, Roberto Cicutto –que organiza, entre outros, o Festival de Cinema de Veneza–, reclamou da aparente inação do Festival de Cannes diante da pandemia do novo coronavírus numa entrevista à agência de notícias italiana Ansa desta segunda (20). A informação é da revista americana Variety.

Cerimônia de abertura do 76º Festival de Cinema de Veneza, com a atriz Alessanda Mastronardi, a cineasta argentina Lucrecia Martel, a artista americana Laurie Anderson, a diretora Susanna Nicchiarelli, o diretor Emir Kusturica e a diretora director Costanza Quatriglio no palco - Manuel Silvestri - 28.ago.2019/REUTERS

Considerado o festival de cinema mais importante hoje, Cannes ainda não decidiu o futuro de sua edição deste ano.

Inicialmente marcado para os dias 12 a 23 de maio, e postergado para junho ou julho assim que as medidas de distanciamento social foram decretadas na França, o evento foi adiado indefinidamente há uma semana. Enquanto isso, mostras paralelas como a Quinzena dos Realizadores e Semana da Crítica foram canceladas.

À frente do festival francês, Thierry Fremaux vinha aventando uma colaboração entre Cannes e Veneza em entrevistas. O responsável por Veneza, Roberto Cicutto, negou essa possibilidade ao falar à Ansa, porém.

"Com Cannes, tudo é possível, mas acho perturbador o fato de que Thierry Fremaux [diretor de Cannes] continua a afirmar que está examinando a situação em vez de decidir o que fazer", disse Cicutto. "Estamos indo em frente com o nosso programa, e se Cannes ainda está pensando, então não há diálogo", continuou.

Na mesma entrevista, Cicutto confirmou a realização do Festival de Veneza entre 2 e 12 de setembro. A 77ª edição do festival acontece numa das regiões da Itália mais atingidas pela Covid-19. Mesmo assim, a organização já tinha negado a possibilidade de fazer uma versão digital.

Cicutto disse que espera que as autoridades italianas façam uma exceção para o festival em relação à abertura de salas de cinema, fechadas para prevenir a disseminação do novo coronavírus.

Um dos países mais afetados pela pandemia, com mais de 23 mil mortes pela Covid-19, a Itália continua numa quarentena estrita. A diminuição da ocorrência de novos casos nas últimas semanas tem feito com que as autoridades prevejam o término da crise em breve, no entanto.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.