Descrição de chapéu
Escuta Aqui

Podcast dá voz a figuras LGBT e leva o ouvinte para Stonewall

'Making Gay History' traz conversas que parecem sempre sinceras, beirando às vezes o comovente

São Paulo

Nos anos 1980, época de acirramento de preconceitos causado pela Aids, o americano Eric Marcus levou seu gravador em busca de depoimentos de pessoas do movimento LGBT.

Os registros foram transcritos e transformados no livro “Making Gay History”, lançado em 1992. Anos mais tarde, Marcus se deparou com essas e outras gravações e decidiu que não podia deixar aqueles depoimentos serem esquecidos. Criou um podcast homônimo, hoje em sua sétima temporada.

Com cerca de 30 minutos, cada episódio revisita uma dessas entrevistas. Entre as personalidades que aparecem estão nomes conhecidos também aqui no Brasil, como o da ativista trans Marsha P. Johnson, uma das personagens centrais das manifestações de Stonewall, e o de Ellen DeGeneres, apresentadora lésbica.

Outros são mais restritos ao público americano, caso do âncora homossexual da CNN Tom Cassidy, ou são completamente anônimos para quem não conhece especificidades do movimento LGBT nos Estados Unidos.

O podcast tem uma estrutura simples: o apresentador dá as boas vindas, introduz o personagem-tema, rememora como, quando e onde ocorreu a entrevista e, em seguida, aperta o play em suas gravações.

A reprodução intermitente dos áudios torna tudo muito transparente e imersivo, aproximando o público do papel de entrevistador. As intervenções do Marcus contemporâneo são pontuais e didáticas, servindo apenas para contextualizar ou explicar qualquer confusão existente em suas fitas.

Se por um lado tal estilo de podcast pode soar um pouco cansativo e sem grandes momentos, as conversas parecem sempre muito sinceras, beirando o comovente em alguns casos —em mais de um, o ouvinte recebe a mensagem, no fim do episódio, de que a voz que acabou de ouvir foi silenciada pela Aids, às vezes pouquíssimas semanas após ser gravada.

Não há dúvidas sobre as qualidades de entrevistador de Marcus, capaz de deixar as personalidades à vontade para discutirem detalhes de sua sexualidade, em uma época em que esse tipo de conversa ainda não estava normalizada.

A militância inexiste, mas fica claro, a todo momento, o quão importante foi o papel desempenhado por aqueles personagens, seja na área política, cultural, jornalística ou esportiva.

É uma boa maneira de conhecer histórias importantes sobre a luta por direitos civis ou apenas de passar o tempo, conhecendo pessoas de épocas e com vivências tão distantes, mas também tão interessantes.

A dica é começar pelos episódios especiais que marcaram os 50 anos de Stonewall. Eles reconstroem detalhes obscuros sobre a rebelião, compilando depoimentos de gente que lembra de minúcias daquela noite, capazes de transportar o ouvinte para as ruas de Nova York.

Making Gay History

  • Onde Disponível no Spotify, no Apple Podcasts, no Google Podcasts e no site makinggayhistory.com
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.