Descrição de chapéu Cinema

França defende 'Lindinhas', filme acusado por Damares de sexualizar meninas

Para ministra da Cultura francesa, críticas se baseiam em imagens descontextualizadas

São Paulo

O Ministério da Cultura da França publicou nexta sexta (18) carta em apoio a "Lindinhas", filme que fez a Netflix ser acusada de sexualizar crianças.

Em nota, o governo francês diz que críticas dirigidas ao filme "Lindinhas" e à diretora Maïmouna Doucouré se baseiam em um série de imagens descontextualizadas e reducionistas. Além disso, os ataques imputam à diretora uma intenção que ela não teve e que vai em "total contradição com o que a obra propõe".

O comunicado traz os nomes da ministra da Cultura, Roselyne Bachelot-Narquin, e da ministra da igualdade de gênero, Élisabeth Moreno.

Bachelot-Narquin e Moreno, na nota, "defendem a difusão do longa-metragem de Maïmouna Doucouré pelo mundo, em nome da liberdade de criação, pilar essencial da vida democrática".

"Este filme deve continuar a ser exibido para todos os públicos e a alimentar um debate pacífico, baseado em leituras esclarecidas da obra."

“Lindinhas” conta a história de Amy, uma menina de 11 anos de origem senegalesa que se muda para a França com sua família. A pequena conhece um grupo de dança de garotas de sua idade, Mignonnes —também o nome original do filme, em francês—, o que não é aprovado por sua família religiosa e conservadora.

A jovem protagonista, interpretada pela atriz Fathia Youssouf, vive um embate entre as descobertas de sua nova vida e as suas origens e costumes. Mas o que poderia ser mais um filme sobre diferenças culturais e as descobertas do começo da adolescência virou objeto de uma série de polêmicas.

O longa, acusado de sexualizar crianças, chegou aos assuntos mais comentados no Twitter nos Estados Unidos quando estreou no catálogo da Netflix. Em entrevista ao site especializado Deadline, a diretora e roteirista Maïmouna Doucouré disse que recebeu ameaças de morte.

A ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, afirmou nesta segunda-feira (14) que está tomando providências contra o filme "Lindinhas". O longa, que foi premiado no festival Sundance, entrou na mira da ministra, que por meio do Facebook chamou a produção de "abominável".

"Estou brava, Brasil! Estou muito brava! É abominável uma produção como a deste filme. Meninas em posições eróticas e com roupas de dançarinas adultas", escreveu Damares. "Quero deixar claro que não faremos concessões a nada que erotize ou normalize a pedofilia! Quero aproveitar e dar um recado aos pedófilos que por anos tem vindo ao Brasil abusar de nossas crianças: no Brasil existe um governo que se importa de verdade em proteger as crianças e as famílias."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.