Integrantes da banda Pussy Riot são presas após protesto pró-LGBT na Rússia

Duas artistas do grupo punk feminista foram detidas um dia depois de organizarem ato com bandeira de arco-íris

Polina Ivanova
Moscou | Reuters

A polícia russa deteve duas integrantes da banda punk Pussy Riot nesta quinta-feira (8), segundo o ativista Pyotr Verzilov, um dia depois de o grupo pendurar bandeiras de arco-íris em edifícios do governo no dia do aniversário do presidente Vladimir Putin para defender os direitos da população LGBT.

Pyotr Verzilov, ativista anti-Kremlin associado ao Pussy Riot, publicou vídeos nas redes sociais que mostram policiais detendo duas mulheres que ele identificou como as artistas Maria Alyokhina e Nika Nikulshina. O conteúdo também foi publicado no Twitter da banda.

O motivo da prisão, no entanto, não foi oficialmente anunciado pelas autoridades locais. ​

O Pussy Riot ganhou fama em 2012, quando suas integrantes foram presas por fazerem um protesto contra Putin, em uma catedral ortodoxa de Moscou. Desde então o grupo se tornou símbolo de ações de protesto anti-Kremlin.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.