Descrição de chapéu Folhajus

Oposição pede cancelamento de portaria que suspende Rouanet onde há lockdown

Governo Bolsonaro cessou análise de propostas em estados que têm medidas de isolamento mais rigorosas em vigor

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ) protocolou na manhã desta sexta (5) um projeto de decreto legislativo que pede a suspensão de uma portaria publicada pelo governo Bolsonaro horas antes. Esta suspende a análise de propostas que buscam recursos da Lei de Incentivo à Cultura —novo nome da Rouanet— que provenham de cidades com restrições de circulação motivadas pelo acirramento da pandemia, e tem como alvo projetos "que envolvam interação presencial com o público".

Vale lembrar que os projetos não acontecem nos dias em que são publicados no Diário Oficial da União (DOU) —a publicação é apenas uma sinalização de que determinado projeto terá acesso à verba.

"Na prática, [a portaria] incentiva as atividades presenciais em grave momento da pandemia e se nega a analisar aquelas que poderiam se realizar de forma segura e em benefício do setor e da sociedade", afirma a deputada no documento. "De forma autoritária e injustificada, a medida atenta contra a cultura, contra a
saúde e contra a Constituição."

A deputada Áurea Carolina (PSOL-MG) também protocolou um projeto de decreto pedindo a suspensão da portaria de Mario Frias. "A referida portaria, assinada pelo Secretário Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura, além de não contar com qualquer embasamento na legislação em vigor, ocasionará nos próximos dias uma total paralisação dos mecanismos de fomento à cultura do país", afirma a deputada no texto.

A medida de suspensão valerá por 15 dias, "podendo ser prorrogada ou suspensa, a depender da manutenção ou não das medidas restritivas nos referidos entes da federação".

Outro que entrou com um pedido foi o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), que escreveu em seu ofício que "a portaria [de Mario Frias], além de bizarra é ilegal, fere princípios básicos do direito administrativo e do acesso à cultura, constitucionalmente assegurado".

"A medida não tem outra finalidade que não a de cumprir vergonhoso papel ideológico negacionista, fruto da necropolítica do seu superior hierárquico no sentido de ir frontalmente contra a aplicação de medidas sanitárias de contenção das mortes causadas pela pandemia", completa.

Maria do Rosário (PT-RS), Benedita da Silva (PT-RJ) e Waldenor Pereira (PT-BA) se juntaram para protocolar o seu projeto de decreto legislativo contra a decisão que suspende a Rouanet. Os parlamentares chamaram a portaria de Mario Frias de "uma verdadeira chantagem aos demais entes da federação".

"Mais uma vez, o governo federal penaliza agentes culturais em um momento de grande crise social e de saúde pública", afirmam, no texto.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.