Descrição de chapéu
Luisa Strina

Paulo Mendes da Rocha tinha uma filosofia sobre morar muito elegante

Arquiteto dissuadiu a galerista Luisa Strina de construir uma casa para fins de semana em um condomínio

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Luisa Strina

Dona da galeria de arte que leva seu nome em São Paulo e uma das marchandes mais influentes no mundo

Há uns 20 anos comprei um terreno num condomínio que estava sendo inaugurado. Chamei Paulo Mendes da Rocha e lhe pedi que me fizesse uma casa para fins de semana.

Ele riu e me disse: "Você está louca? Você é uma intelectual e deveria comprar um apartamento na avenida São Luís, encher de livros, colocar uma poltrona no meio da sala e ali ficar..."

Retrato da galerista Luisa Strina em seu apartamento em São Paulo, em 2014 - Eduardo Knapp - 11.dez.2014/Folhapress

"Você sabe o que é ter uma casa num condomínio? Estão cheias de babás, crianças mal-educadas e cães ferozes…"

"Primeiro você vai passar a semana inteira tentando convencer amigos a visitar, sendo que alguns irão uma vez e nunca mais, pois detestam ar puro. Você acha que pode servir uma pizza e tudo bem?"

"Não, vai ter que aprender a cozinhar leitões à pururuca, feijoadas, além de ter que mandar consertar a geladeira, o ar-condicionado, entre outros probleminhas."

"Mas finalmente você consegue juntar um grupo que vai se divertir muito, comer à vontade, beber muita vodca com sorvete de limão e voltar à noite, totalmente bêbados... Vão dar uma trombada, morrer, e você vai ficar o resto da vida com culpa.”

No dia seguinte, o terreno estava à venda. E o meu apartamento, que não fica na São Luís, está cheio de livros, com uma poltrona no meio.

A filosofia de Paulo Mendes da Rocha sobre o morar era tão elegante quanto sua arquitetura.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.