Descrição de chapéu Cinema mostra de cinema

Mostra de Cinema de SP premia 'Urubus' e 'Clara Sola'; confira os vencedores

Festival encerrou sua 45ª edição com cerimônia no vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo anunciou na noite desta quarta-feira (3), em cerimônia de encerramento no vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista, os premiados de sua 45ª edição. O júri internacional, composto por Beatriz Seigner, Carla Caffé e Joel Zito Araújo, escolheu o costa-riquenho "Clara Sola" como o melhor filme estrangeiro entre aqueles pré-selecionados pelo voto do público, na seção Novos Diretores.

Dirigido por Nathalie Álvarez Mesén, o longa acompanha uma mulher de 40 anos que acredita ter uma conexão especial com Deus. Quando conhece o namorado de sua sobrinha, ela vê seus desejos sexuais despertarem após anos de repressão.

Wendy Chinchilla Araya em cena do filme "Clara Sola", de Nathalie Álvarez Mesén
Wendy Chinchilla Araya em cena do filme 'Clara Sola', de Nathalie Álvarez Mesén - Divulgação

Além do Troféu Bandeira Paulista de filme, "Clara Sola" também levou o prêmio de melhor atriz, para Wendy Chinchilla Araya. O melhor ator do evento foi Yuriy Borisov, de "Compartment Nº 6", e o júri decidiu ainda conceder menção honrosa a "Pequena Palestina, Diário de um Cerco".

Já o público, que após as sessões pôde dar notas de um a cinco para os filmes, escolheu "Onoda - 10 Mil Noites na Selva" como melhor filme de ficção internacional e "Summer of Soul (... ou, Quando a Revolução Não Pôde Ser Televisionada)" como documentário. Entre os brasileiros, "Urubus" arrematou o prêmio para ficções e "O Melhor Lugar do Mundo É Agora", o destinado a obras documentais.

"Urubus", em que Cláudio Borelli questiona o papel da pichação no mundo da arte, também foi o escolhido para levar o prêmio da crítica —oferecido por um comitê de jornalistas e críticos de cinema. "O Compromisso de Hasan" foi eleito, pelo mesmo grupo, o melhor longa estrangeiro da Mostra de Cinema de São Paulo. Em paralelo, a Abraccine, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema, premiou "A Felicidade das Coisas" como a melhor estreia de um diretor.

Por fim, o Instituto Olga Rabinovich concedeu o prêmio Projeto Paradiso ao roteirista João Braga, que vai receber R$ 30 mil para seu próximo projeto, "Entre Espelhos" —a iniciativa escolhe, entre os diretores da Mostra Brasil que tenham outros projetos em desenvolvimento, alguém para receber o incentivo. Já o Brada, coletivo de diretoras de arte do país, premiou "Clara Sola" também por sua direção de arte.

A 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo vem exibindo os títulos selecionados para este ano de forma híbrida desde o fim de outubro. Apesar da cerimônia de premiação, o público ainda pode conferir alguns desses filmes na tradicional repescagem, que vai até o dia 7 de novembro.

Ao todo, 85 filmes ganham uma segunda chance na plataforma Mostra Play, como "Murina", "Ahed's Knee", "Bergman Island", "Diários de Otsoga", "Higiene Social", "Jane por Charlotte" e os premiados "Pequena Palestina, Diário de um Cerco" e "Urubus".

Confira, abaixo, a lista de premiados da 45ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.​

​VENCEDORES DA 45ª MOSTRA DE SP

Prêmio do júri - melhor filme
"Clara Sola", de Nathalie Álvarez Mesén

Prêmio do júri - melhor atriz
Wendy Chinchilla Araya, por "Clara Sola"

Prêmio do júri - melhor ator
Yuriy Borisov, por "Compartment Nº 6"

Menção honrosa do júri
"Pequena Palestina, Diário de um Cerco", de Abdallah Al-Khatib

Prêmio do público - melhor documentário brasileiro
"O Melhor Lugar do Mundo É Agora", de Caco Ciocler

Prêmio do público - melhor filme de ficção brasileiro
"Urubus", de Cláudio Borelli

Prêmio do público - melhor documentário internacional
"Summer of Soul (... ou, Quando a Revolução Não Pôde Ser Televisionada)", de Ahmir "Questlove" Thompson

Prêmio do público - melhor filme de ficção internacional
"Onoda - 10 Mil Noites na Selva", de Arthur Harari

Prêmio da crítica - melhor filme internacional
"O Compromisso de Hasan", de Semih Kaplanoglu

Prêmio da crítica - melhor filme brasileiro
"Urubus", de Cláudio Borelli

Prêmio da Abraccine - melhor filme brasileiro de diretor estreante
"A Felicidade das Coisas", de Thais Fujinagua

Prêmio Projeto Paradiso (apoio ao desenvolvimento de novos filmes)
"Entre Espelhos", de João Braga

Prêmio Brada - melhor direção de arte
Amparo Baeza, por "Clara Sola"

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.