Descrição de chapéu Cinema Folhajus

Amber Heard pede anulação do julgamento que deu vitória a Johnny Depp

Moção apresentada pela equipe de advogados da atriz declara que sentença a favor do ator carece de provas

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A equipe jurídica da atriz Amber Heard solicitou a anulação do julgamento contra ela no processo de difamação que deu vitória a seu ex-marido Johnny Depp.

A atriz declarou por meio de um memorando de 43 páginas que o veredito do júri deveria ser rejeitado —assim como a indenização de mais de US$ 10 milhões prevista a favor de Depp— alegando que a sentença carece de provas, de acordo com o jornal The Guardian.

A atriz Amber Heard, que foi condenada a pagar indenização de US$ 15 milhões a Johnny Depp por um processo de difamação - Steve Helber/AFP

Heard foi condenada em junho acusada de difamação por ter escrito um artigo de opinião no qual se dizia vítima de violência doméstica no período em que esteve casada com Depp.

Segundo a moção apresentada pela advogada Elaine Bredehoft na última sexta-feira, Depp "procedeu apenas em uma teoria de difamação por implicação, abandonando quaisquer alegações de que as declarações de Heard eram realmente falsas".

No documento, a atriz também disse que a indenização contra ela foi excessiva, considerando que a sentença foi proferida após um veredito dividido que descobriu que ela e Depp haviam difamado um ao outro mutuamente.

A defesa de Heard ainda levantou suspeitas a respeito da idade de um dos jurados. O indivíduo, identificado no processo como "jurado 15", teria nascido depois de 1945, contradizendo seu registro no tribunal. "Informações publicamente disponíveis demonstram que ele parece ter nascido em 1970", afirmou a moção.

"Esta discrepância levanta a questão de saber se o 'jurado 15' realmente recebeu uma intimação para o serviço de júri e se foi devidamente examinado pelo tribunal para servir no júri."

Em reação, o principal advogado de Depp, Ben Chew, emitiu uma nota por email para o portal Courthouse News classificando a moção como algo "que esperávamos, apenas maior, porém não mais substantivo".

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.