Leia poemas de Adília Lopes, destaque da atual literatura portuguesa

'Um Jogo Bastante Perigoso', de 1985, será publicado pela primeira vez no Brasil em maio

Adília Lopes

SOBRE O TEXTO Os poemas desta página integram "Um Jogo Bastante Perigoso", que será publicado pela primeira vez no Brasil em maio, pela editora Moinhos. A obra, de 1985, marcou a estreia da autora, que se firmou como um dos principais nomes da poesia contemporânea portuguesa.

 

pintura em cinza azul e preto
Ilustração para Ilustríssima - Antonio Malta Campos

Os poemas que escrevo

são moinhos

que andam ao contrário

as águas que moem

os moinhos

que andam ao contrário

são as águas passadas

 

Eu realmente falo muito

em raparigas

ora as raparigas

haverá excepções

foram sempre muito minhas amigas

da onça

um dia convidei uma

para morrer comigo

hei-de tentar entrar na morte

a dançar disse-lhe eu

ela disse-me o que tu dizes

não se escreve

pois não não lhe disse eu

e o que eu escrevo não se diz

então vamos comer um gelado

eu não vou eu digo

apetece-me um gelado

mas não como disse-me ela

o que é que se pode fazer

com uma rapariga destas?

Com o fogo não se brinca

porque o fogo queima

com o fogo que arde sem se ver

ainda se deve brincar menos

do que com o fogo com fumo

porque o fogo que arde sem se ver

é um fogo que queima

muito

e como queima muito

custa mais

a apagar

do que o fogo com fumo

pintura em cinza azul e preto
Ilustração para Ilustríssima - Antonio Malta Campos

 

O PRESENTE

Vou-te dar um presente

eu gosto de presentes

é uma caixa de joias

é tão bonita

dentro está um anel com uma pedra preciosa

porque é tão grande?

toma

porque é tão grande?

toma

cuidado

dentro está um anel com uma pedra preciosa

mas talvez nunca o chegues a pôr no dedo

na caixa está uma serpente

para pegares no anel tens de abrir a caixa

se abrires a caixa a serpente pode picar-te o dedo

e tu podes morrer

se não abrires a caixa


Adília Lopes, 57, poeta e tradutora portuguesa, é autora de "Dobra" e "Bandolim" (Assírio e Alvim). 

Antonio Malta Campos, 56, é pintor. Sua exposição na Galeria Leme segue até 12/5. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.