Clássicos do jazz, livro de Roland Barthes e mais 5 dicas culturais

Veja as indicações da Ilustríssima para a próxima semana

[MÚSICA] Clássicos do Jazz

Sesc 24 de Maio. (11) 3350-6300. De qui. (17) a sáb. (19), às 21h. R$ 30

Em shows com direção musical de Lupa Santiago, três bandas distintas que reúnem destaques da cena instrumental brasileira apresentam a íntegra de alguns dos principais álbuns da história do gênero: “Time Out” (1959), do Dave Brubeck Quartet, na quinta-feira; “A Love Supreme” (1965), de John Coltrane, na sexta-feira; e “Kind of Blue” (1959), de Miles Davis, no sábado.

 

[LIVRO] Fragmentos de um Discurso Amoroso

Editora Unesp. 287 págs. R$ 54. 

A obra escrita em 1977 pelo filósofo estruturalista francês Roland Barthes estava fora de catálogo por aqui e ganha nova edição, com tradução de Hortênsia dos Santos. O livro divide-se em dezenas de termos, cada um deles com universo próprio, buscando explicar a experiência do amor e o sujeito apaixonado a partir do ponto de vista da linguagem.

 

[EXPOSIÇÃO] Salão dos Artistas sem Galeria

Galerias Zipper e Sancovsky. (11) 4306-4306 e (11) 3063-4444. De 15/1 a 16/2 (na Sancovsky, começa em 17/1). De seg. a sex., das 10h às 19h; sáb., das 11h às 17h. Grátis.

Os dois espaços recebem, ao mesmo tempo, a décima edição da mostra que reúne trabalhos de artistas que não são representados por galerias. Entre os dez participantes selecionados, estão a paulista Adriana Amaral, a carioca Stella Margarita e os mineiros Carol Peso, Iago Gouvêa e Xikão Xikão.

selfie de pessoa mascarada
Fotografia da série "Nude" (2017-2018), de Xikão Xikão - Xikão Xikão/Divulgação

[CURSO] A arte de vanguarda e a crítica de arte

Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. (11) 3254-5600. De seg. (14) a qua. (16), das 19h às 21h30. R$ 50.

As três aulas ministradas por Maria de Fátima Morethy Couto, doutora em história da arte pela Universidade de Paris 1 e professora do Instituto de Artes da Unicamp, analisam os movimentos artísticos brasileiros das décadas de 1950 a 1970, como o neoconcretismo e a nova figuração, e resgatam os debates intelectuais da época. Também se discutirão as consequências da repressão militar e da decretação do AI-5, em dezembro de 1968, sobre aquelas vanguardas.

 

[CINEMA] CineKlap - Dinamarca em Foco

Centro Cultural Banco do Brasil. (11) 3113-3651. Até 21/1, em diversos horários. Grátis, com retirada de ingressos 1h antes. 

Organizada pelo Instituto Cultural da Dinamarca, que completa dez anos de atividades no Brasil, a mostra apresenta 16 filmes da mais recente safra do país. Entre os destaques, estão os longas “O Conquistador” e “Afinal de Contas”, premiados em festivais, e “O Show da Guerra”, sobre o conflito na Síria.

 

[MOSTRA] Marcelo D’Salete

Museu Afro Brasil. (11) 3320-8900. De ter. a dom., das 10h às 17h. Até 24/2. R$ 6, grátis aos sábados.

Em sua primeira exposição individual, o quadrinista paulistano vencedor do prêmio Eisner —o maior reconhecimento mundial de HQs— exibe 40 pranchas originais dos desenhos feitos para os livros “Cumbe” (2014) e “Angola Janga” (2017), que discutem a escravidão.

 

[CINEMA] Joaquim Pinto e Nuno Leonel

Caixa Cultural Rio de Janeiro. (21) 3980-3815. De 15 a 27/1, exceto às segundas, em diversos horários. R$ 6.

Mostra exibe todos os filmes dirigidos pelo casal de cineastas portugueses, como “E Agora? Lembra-me?” (2013), documentário premiado em Locarno que registra um tratamento experimental contra o vírus HIV ao qual Pinto se submeteu. Ambos estarão presentes na abertura do evento, na terça (15), às 19h, em debate mediado pelo curador Aristeu Araújo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.