Palestras de Valter Hugo Mãe e Edgar Morin e mais 5 dicas culturais

Veja as indicações da Ilustríssima para a próxima semana

[PODCAST]  Luiz Eduardo Soares

Disponível a partir de seg. (17) em folha.com/ilustrissimaconversa

Um dos maiores especialistas em segurança pública do país, o antropólogo falou ao repórter Walter Porto sobre seu novo livro, "Desmilitarizar" (Boitempo). O autor discutiu a ligação entre a estrutura das instituições policiais e os altos índices de violência e encarceramento no Brasil, comentou sua tentativa de promover reformas como secretário nacional de Segurança Pública no governo Lula e criticou o pacote anticrime enviado pelo ministro Sergio Moro ao Congresso.

[LITERATURA]  Valter Hugo Mãe

Biblioteca Mário de Andrade. (11) 3775-0002. Seg. (17), às 19h.  Grátis, com retirada de ingressos uma hora antes.

Um dos principais escritores portugueses em atividade discute seu processo criativo em conversa com a jornalista Adriana Couto e, em seguida, faz sessão de autógrafos. Neste domingo (16), o autor também participa de bate-papo após sessão da peça "A Desumanização", no Sesc Santana, baseada em seu livro homônimo. 

[PALESTRA]  Edgar Morin

Sesc Pinheiros. (11) 3095-9400. Ter. (18), às 20h. R$ 20.

Um dos maiores intelectuais vivos e pesquisador emérito do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), o francês de 97 anos faz uma conferência sobre a relação entre estética e emoção, assim como a origem da inspiração ou do gênio criador, abarcando desde as pinturas rupestres até artistas contemporâneos. Haverá transmissão ao vivo no canal do Sesc no YouTube. 

objeto semelhante a porco sem face
"Polochon" (1985), de Lina Bo Bardi, exposta na coletiva "A Burrice dos Homens" - Divulgação

[EXPOSIÇÃO]  A Burrice dos Homens

Galeria Bergamin & Gomide. (11) 3853-5800. De seg. a sex., das 10h às 19h; sáb., das 10h às 15h. Até 20/7. Grátis.

Com curadoria de Fernanda Brenner, diretora do espaço de arte Pivô, em SP, a mostra parte da pintura homônima do paulista José Antônio da Silva e de letra de Torquato Neto para refletir sobre sátiras e estereótipos, com trabalhos que trafegam entre a ficção incômoda e a crítica social mais evidente. Entre os artistas da coletiva, estão Lina Bo Bardi, Hélio Oiticica, Jac Leirner e Tiago Carneiro da Cunha.

[TEATRO]  Eu Amarelo: Carolina Maria de Jesus

Sesc Ipiranga. (11) 3340-2000. Qui. e sex., às 21h30; sáb., às 19h30; dom., às 18h30. Até 29/6. R$ 20.

A peça dirigida por Isaac Bernat conta a vida da catadora de papel que se transformou em uma das referências da literatura brasileira. Cyda Moreno interpreta o monólogo, inspirado em fragmentos da obra da autora.

intervenção sobre imagens
"Nós Sempre Estivemos em Chamas" (2019), de Ivan Grilo - Divulgação

[ARTES PLÁSTICAS]  Ivan Grilo

Casa Triângulo. (11) 3167-5621. De seg. a sáb., das 10h às 19h. Até 20/7. Grátis.

A exposição "Amanhã, Logo à Primeira Luz" exibe trabalhos inéditos do artista plástico paulista, que situa suas obras entre o campo do íntimo e do político e cria objetos e instalações que instigam discussões sobre a crise da empatia e da democracia. 

[MOSTRA]  Cia Mungunzá de Teatro

Teatro Municipal da Mooca Arthur de Azevedo. (11) 2604-5558. Qui., sex. e sáb., às 19h; dom., às 17h. De 21/6 a 14/7. Grátis.

A companhia apresenta uma mostra de repertório com cinco espetáculos alternados. Como destaques, "Luis Antonio - Gabriela", baseada na vida da irmã transexual do diretor Nelson Baskerville, "Poema Suspenso para uma Cidade em Queda", encenada sobre quatro torres de andaimes, e a mais recente "Epidemia Prata".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.