Preta Jazz Festival, Ana Maria Gonçalves e mais 5 dicas culturais

Veja as indicações da Ilustríssima para a próxima semana

[ILUSTRÍSSIMA CONVERSA] Sueli Carneiro

Disponível gratuitamente a partir de sáb. (16) nas principais plataformas de áudio e no site folha.com/ilustrissimaconversa

Doutora em filosofia da educação pela USP, a intelectual e ativista tem alguns de seus principais textos acadêmicos, artigos jornalísticos e discursos reunidos pela primeira vez de forma ampla em “Escritos de uma Vida”, livro organizado por Djamila Ribeiro e editado neste ano pela Pólen. Ela falou ao podcast sobre a asfixia social que estrangula as mulheres negras no Brasil e as conclusões e dificuldades que teve ao empreender pesquisa sobre o assunto em suas décadas de carreira.

[MÚSICA] Preta Jazz Festival

Auditório Ibirapuera. (11) 3629-1075. Qua. (20), às 17h. Grátis, com retirada de ingressos 1h30 antes.

Festival que abre a Feira Preta terá participação de expoentes da cena musical, como o Amaro Freitas Trio, revelação jovem do jazz vinda de Pernambuco, o grupo de cantadeiras Clarianas, que investiga cânticos femininos ancestrais, Renato Gama e a Orquestra Profunda de Delicadeza, que trabalha com a musicalização de poemas, e o encontro da contrabaixista Ana Karina Sebastião com a cantora moçambicana Lenna Bahule.

ana maria
A escritora Ana Maria Gonçalves, que dará palestra - Divulgação

[PALESTRA] Ana Maria Gonçalves

Biblioteca Mário de Andrade. (11) 3775-0002. Ter. (19), às 19h. Grátis.

A autora de “Um Defeito de Cor” dará uma aula sobre Geni Guimarães, escritora paulista de 72 anos ligada ao movimento negro que se destacou na cena literária a partir da década de 1980, tendo recebido o Jabuti pela novela “A Cor da Ternura”.

pintura de crianças
“Paixão e Glória (5)”, obra de Monica Barki - Divulgação

[EXPOSIÇÃO] Monica Barki

Galeria Maria de Lourdes Mendes de Almeida - Rio. (21) 2525-1006. De ter. a sex., das 14h às 20h; sáb., das 16h às 20h. Grátis.

A carioca inaugura sua nova mostra congregando diversos suportes artísticos, como desenhos, litografias, fotografias, colagens, uma videoperformance, uma pintura e um gif —num total de 26 obras. Ela também apresenta ao vivo a performance “Casório” na abertura da exposição, que tem como tema central a observação subversiva sobre o que une casais.

[TEATRO] As Mãos Sujas

Sesc Ipiranga. (11) 3340-2000. Sex. e sáb., às 20h; dom., às 18h. Até 24/11. R$ 30. 

É a última semana para assistir à peça escrita pelo filósofo Jean-Paul Sartre e montada por José Fernando Peixoto de Azevedo. O enredo traz um jovem intelectual cujo “batismo de fogo” para entrar no partido comunista de seu país é assassinar o líder da agremiação, que propôs uma aliança com grupos conservadores.

[CINEMA] Diz a Ela Que Me Viu Chorar

Petra Belas Artes. (11) 2894-5781. Seg. (18), às 19h30. R$ 15.

O documentário premiado dirigido pela antropóloga Maíra Buhler narra a vida amorosa das pessoas viciadas em crack que moram em um hotel no centro de São Paulo. Já em cartaz, o filme ganha sessão com presença da diretora e da cineasta Carol Rodrigues.

[CURSO] Agnès Varda e Clarice Lispector

Escrevedeira. (11) 94499-0141. De 20/11 a 11/12. Qua., às 19h30. R$ 380.

A escritora Noemi Jaffe, doutora em teoria literária pela USP, e a psicanalista Maria Homem oferecem quatro aulas relacionando a cineasta franco-belga (que transitava entre o documentário e a ficção) à escritora brasileira (que mergulhava no interior feminino), discutindo o trabalho de ambas como “catadoras do real”, refratárias às convenções artísticas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.