Narrativa literária incorpora erros de digitação de troca de mensagens; leia

Autores registram conversas sobre o cotidiano e as frustrações da quarentena

Giselle Beiguelman

Artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, é autora de "Memória da Amnésia" (Edições Sesc), entre outros livros

Leonardo Villa-Forte

Escritor e pesquisador, é autor de "Escrever sem Escrever" (Relicário), entre outros livros

[SOBRE O TEXTO] Este texto foi escrito ao longo da pandemia, coletando os erros de digitação dos autores em conversas no WhatsApp e em outros aplicativos de mensagens.

*

Teu erro foi meu

Escreveu ensaiosamente e foi dormir. Quer dizer, não. E melhor assim. Lembrou que precisava enviar aquela fito pessoal. Quem sabe, adotar dali em diante. Como quem cítara de maneira intencional. Como quem faz rimas também. Dicou poético.

Tece que dormir na sala. Os gatos ocuparam a cama. Mas vida denomade é assim: sem programação. Desobedecer é pérsico, pensou. Viu-me embora pra Passárgada. Comprar fininhos de ouvido novos. Basta. A vida é monha. Menadar ficar quieta resilve algo? E se remirrássemos tudo? Aditar essa filosofia, pensou. Nada mau. Que tam? Fim de semestre me seuqestrou. Chega de recalmação. É terminar o brideo e partir para outra. Pios é.

Todo mingo quer um momento de só sigo. Um pouco de vamô. Sem simbra de dúvida. É o que todos precisam. Perjeito. Afinal, quem domina essas natrações confusas da quarentena?

Estou super aleratada de tempo. Entendendo mais nada. Doeload atrás de doeland. Abertações, tempo pandêmico.

Importa agora saber se o cara estudou na GAU, na EVA? É muito diacurso inútil.

Fretefretefrefefrefefefefefefefefeffefefffeeefeffefeffeefefefeeefefefefeffeefefeffeefefefefeffeefefeeeeffeeffefeefefefeffeefefeffeefefefefffffffffffffefefefeeffeeefffefefeffefeffeffeefeeeeeeeeefeffefefeeefeefeffeeffffefffeefffeeefeffeffrete de sorreio pra cá frefrete de sorreio pra lá, quanto chega a sua tarca?

Muito frete pocas férias.

O fim de semana pastou e não chegamos ao fim. Do dunmo, da 40ena, tampouco da oitentena, quiz sá da centoevintena que se fantrosma em 160ena. Quantos pecados há? Veremos de pagar, carama ria maladena! Parangaricutirimírruaro. E aquele cara que estudou na EVA, averiguaray se xamadão.

Shato, chato, xato. Fax-se mesmo com a tíbia quebrada.

Me intensifiquei muito com a história dele. Eta xato mas quem luga pra isso? No dundo é ruso problema de indentação. De coisas do fundamental da álgebra.

Daquela alma querida queria. Dicou poético!

Poesia é bundamental.

Chirei tua ausência. Disse que estaria lágrimas e fui. Vc não aparacéu e eu desanoiteci. Contonoei e te perdi. Pensei em mansar um inbox, esqueci.

Torei Face Id e escrevi textonho para ti.

Volê ceu meu textonho? Eu excresci, não és que vi. Um textolho pra TI, amanhecido, lacrimal, d SSS que a gentchi não dope guardar.

Depôs na casa, depois: ave esquecido de liquidarizar as platas. Tanto doeload pra fazer. Tanto doeland pra fazer. Tanto downland, tanto downlove. Tonta doente.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.