Saltar para o conteúdo principal
 
13/12/2011 - 15h00

Autor de biografia de Dilma comenta a obra; leia trecho

da Livraria da Folha

O jornalista Ricardo Batista Amaral, autor de "A Vida Quer é Coragem", a biografia da presidente, comenta como foi escrever sobre Dilma Rousseff no início do livro. Publicado pelo selo Primeira Pessoa, da editora Sextante, a edição tem lançamento previsto para esta quinta-feira (15).

Leia um trecho do exemplar.

Veja livro recomendado por Dilma
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Conheça nossa página no Facebook
Visite a estante dedicada às biografias

*

Divulgação
Conta a trajetória de Dilma Rousseff, a primeira presidente do Brasil
Livro acompanha a trajetória de Dilma, a 1ª presidente do Brasil

ESTE LIVRO É RESULTADO DAS PESQUISAS, ENTREVISTAS E OBSERVAÇÕES DE um repórter. Não tem outra pretensão além de narrar uma grande aventura política do nosso tempo: a eleição da primeira presidenta do Brasil. É uma história de final conhecido, com um enredo e m que se entrelaçam a trajetória pessoal de Dilma Rousseff e a evolução política do país nas últimas décadas; a história de uma brasileira que viveu, como poucas, os sonhos e as frustrações de sua geração, num país que ela vinha contribuindo para transformar muito antes de chegar ao Palácio do Planalto.

Para reconstituir essa trajetória, contei com a colaboração de muitas pessoas. Agradeço, de maneira especial, a Carlos Araújo, por ter compartilhado as memórias sentimentais e a experiência política de quem foi companheiro de Dilma, na luta e na vida. Da mesma forma, agradeço a Cláudio Galeno, que recordou os tempos da rebeldia romântica ao lado da jovem Dilma em Belo Horizonte. Sônia Lacerda e seu companheiro Elias me proporcionaram recriar o ambiente social e afetivo em que Dilma se formou, reunindo em sua casa os amigos Márcio Borges, Helvécio Raton, Carlos Alberto "Flex" de Assis, Betinho Duarte e Marco Antônio Meyer. A prodigiosa memória de Apolo Heringer Lisboa foi essencial para reconstituir a militância da esquerda em Belo Horizonte. Recorri também às memórias e biografias de Herbert Daniel, Carmela Pezutti e Maria do Carmo Brito, militantes heroicos.

Para a história das organizações de esquerda no país e dos militantes mencionados no livro, foram essenciais o Combate nas trevas, de Jacob Gorender, Tiradentes, um presídio da ditadura (organizado por Alípio Freire e outros), Dos filhos deste solo (Nilmário Miranda e Carlos Tibúrcio), História do marxismo no Brasil (Marcelo Ridenti, Daniel Aarão Reis e outros), além do comovente Iara - Reportagem biográfica, de Judith Lieblich Patarra, e do indispensável A ditadura escancarada, de Elio Gaspari.

Jandira César e Carlos Alberto Tejera De Ré ajudaram a contar a vida da amiga Dilma em Porto Alegre depois da prisão (a De Ré, que nos deixou pouco depois de nos conhecermos, faço um agradecimento póstumo). O jornalista Ayrton Centeno compartilhou um longo depoimento que Dilma nos deu sobre sua infância e juventude na campanha eleitoral. Agradeço de forma especial ao amigo Silvio Tendler, que cedeu a versão integral do precioso depoimento da então ministra Dilma Rousseff para o filme Utopia e barbárie.

Muitas pessoas colaboraram para reconstituir a participação de Dilma no governo do presidente Lula e os momentos mais importantes da campanha eleitoral. Isso não teria sido possível sem o empenho de Giles Azevedo, a quem o autor e o livro devem muito. Dentre os dirigentes políticos e outros colaboradores de Lula e Dilma, agradeço especialmente a José Eduardo Dutra.

Consultei reportagens de jornais e revistas, que são citadas ao longo do livro, mencionando os autores nos casos que considerei essenciais, como a entrevista de Dilma a Luiz Maklouf Carvalho sobre as torturas que ela sofreu no DOI-Codi. Agradeço coletivamente aos jornalistas que ajudam a escrever a História do Brasil. Incorporei ao livro muitos episódios que apurei como repórter em Brasília nos últimos 25 anos. Acrescentei, por fi m, minhas próprias anotações e memórias do período em que fui assessor de Dilma Rousseff, na Casa Civil, de novembro de 2009 a março de 2010, e ao longo da campanha eleitoral.

Procurei fazer um relato objetivo dos fatos, como se espera de uma reportagem, sem abrir mão de explicitar meu ponto de vista sobre muitos episódios. Quanto aos erros que eventualmente sobreviveram à apuração e revisão do texto, a responsabilidade por eles será minha, exclusivamente.

Ao meu amigo Otto Sarkis, agradeço o apoio fundamental para me dedicar ao projeto e levá-lo até o fi m. Ao jornalista Oswaldo Buarim, devo o primeiro e importante incentivo para escrever este livro. Agradeço aos editores Hélio Sussekind e Marcos Pereira, por terem acreditado desde o começo, e a Roberta Campassi, que me levou até eles. A Virginie Leite e Débora Thomé, pelas correções e sugestões criteriosas ao texto fi nal, juntamente com Hélio. Sou especialmente grato a Mana Coelho, Natuza Nery e Thomas Traumann, pelo incentivo e pelo carinho, e aos irmãos Ricardo Stuckert e Roberto Stuckert Filho.

Dedico este livro, com amor, a minha mulher, Malu Baldoni, que viveu comigo essa aventura desde o início, nos melhores e nos mais difíceis momentos, sempre me estimulando a contar esta história da forma mais sincera. Também o dedico a nossos fi lhos: Marina, que me ajudou a fazer muitas perguntas, e André, que compreendeu meus silêncios. Eles me recordam que este livro pode ser útil para os mais jovens e para os que virão depois de nós.

Brasília, novembro de 2011

*

"A Vida Quer é Coragem"
Autor: Ricardo Batista Amaral
Editora: Primeira Pessoa
Páginas: 336
Quanto: R$ 31,90 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

 
Voltar ao topo da página