Saltar para o conteúdo principal
 
02/12/2012 - 16h00

Leia trecho de 'A Inovação do Improviso'

da Livraria da Folha

Com o subtítulo "Por que Menos é Mais na Construção de Riquezas e Resultados", "A Inovação do Improviso" descreve o aumento do consumo nos países emergentes e investigam a mentalidade que provoca esse crescimento.

Conheça nossa página no Facebook
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Livros ensinam a escolher o melhor investimento

No livro, os autores apresentam casos de empreendedores de diversos países, como Argentina, Brasil, China, Costa Rica, Índia, Quênia, México, Filipinas-- que desenvolveram soluções simples para resolver problemas complexos.

Abaixo, leia um trecho extraído do exemplar.

*

Prefácio à edição brasileira

Divulgação
Livro descreve peculiaridades do crescimento dos países emergentes
Livro descreve peculiaridades do crescimento de países emergentes

O objetivo deste livro é mostrar para as empresas de todo o mundo como elas podem gerar inovação e crescimento em um ambiente global de negócios cada vez mais complexo. Em especial, queremos ajudar os líderes das empresas ocidentais a entenderem que não podem mais se basear na velha fórmula que sustentou a inovação e o crescimento durante décadas: uma mistura de estratégias de cima para baixo, projetos onerosos de P&D e processos de negócios rígidos e altamente estruturados. Na verdade, os líderes ocidentais precisam olhar para lugares como Brasil, África, Índia e China, em busca de uma abordagem frugal e flexível para a inovação.

Quando iniciamos nossa pesquisa, em 2008, previmos que os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) seriam ideais para procurarmos uma nova abordagem de inovação. Entre eles, escolhemos a Índia em primeiro lugar porque, depois da China, é a economia que mais cresce no mundo. Além disso, muitos preveem (inclusive a Goldman Sachs e a Ernst & Young) que, em breve, a Índia não só ultrapassará economicamente a China como continuará a crescer mais rápido que os outros países dos BRICs por várias décadas. E o mais importante é o fato de que a Índia apresenta o máximo de complexidade possível. O país enfrenta escassez generalizada em grande escala: desde água, alimentos e energia - mais de 500 milhões de indianos não possuem fornecimento regular de eletricidade - até o acesso à educação e à saúde. Sua caótica democracia é caracterizada por uma burocracia kafkiana e espantosa diversidade; sua população de 1,2 bilhão de habitantes está se expandindo a uma taxa de 1,3% ao ano. Apesar de todo o caos e complexidade, a economia indiana cresce fortemente em um momento econômico difícil. Se os indianos conseguiram crescer "apesar da complexidade", deve haver algo que vale a pena aprender com eles.

Em nossas muitas viagens para a Índia, encontramos dezenas de empreendedores de origem humilde e visitamos mais de 100 empresas, de grande e pequeno portes. O que vimos nos surpreendeu. O país está explodindo com inovações engenhosamente simples, porém eficazes. Após mais de três anos de ampla pesquisa de campo, buscando pelo santo graal da inovação por todo o país, chegamos a uma conclusão: todos os inovadores frugais que encontramos compartilham uma única mentalidade: a mentalidade jugaad.

O que é jugaad? Jugaad é uma palavra coloquial em hindu, cujo sentido pode ser explicado como "um conserto inovador; uma solução improvisada, com base na engenhosidade e inteligência". A jugaad é, de forma bastante simples, uma maneira única de pensar e agir em resposta a desafios; trata-se da arte corajosa de identificar oportunidades nas circunstâncias mais adversas e engenhosamente improvisar soluções utilizando meios simples. Jugaad significa fazer mais com menos. A jugaad é praticada no dia a dia por quase todos os indianos para produzir o máximo com o que possuem. Por exemplo, no meio de um deserto, no noroeste da Índia, um empreendedor social chamado Mansukh Prajapati desenvolveu a Mitticool (mitti significa "terra" em hindu); trata-se de uma geladeira de US$40, feita de argila, 100% biodegradável e que não utiliza eletricidade, o que é muito importante, pois 500 milhões de indianos vivem sem energia elétrica. A Mitticool funciona da seguinte maneira: a água de uma câmara superior escoa por paredes laterais, esfriando a câmara inferior de alimentos por meio de evaporação. Prajapati não tem PhD ou MBA (na verdade, não concluiu o ensino médio) mas, no entanto, criou uma maneira frugal e sustentável de ajudar os habitantes a manter frescos, por alguns dias, produtos como leite e vegetais, utilizando apenas argila e água.

O espírito empreendedor da jugaad não se limita apenas à Índia, mas é amplamente praticado em outras economias emergentes, como a China e a África, onde empreendedores também buscam o crescimento em circunstâncias difíceis. Os chineses a chamam de zizhu chuangxin. Os quenianos se referem a ela como jua kali. Os franceses também têm uma expressão própria: système D. Ao longo deste livro, apresentaremos empreendedores jugaad de países como Argentina, Brasil, China, Costa Rica, Índia, Quênia, México, Filipinas e outros, que criaram soluções simples, porém eficazes, para resolver problemas difíceis enfrentados por seus concidadãos.

*

"A Inovação do Improviso"
Autores: Jaideep Prabhu, Simone Ahuja, Navi Radjou
Editora: Campus Elsevier
Páginas: 288
Quanto: R$ 59,50 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página