Saltar para o conteúdo principal
 
13/11/2012 - 10h30

Apaixonado, filósofo entusiasta da ciência virou religioso

da Livraria da Folha

Divulgação
Desastre amoroso do pai do positivismo está em "Os Grandes Filósofos que Fracassaram no Amor"
De tanta fé na ciência, Auguste Comte, o pai do positivismo, criou uma nova religião

Auguste Comte, filósofo conhecido pelo entusiasmo nos poderes do conhecimento científico, manteve uma relação conturbada com a prostituta Caroline Massin, mulher com quem se casou.

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Conheça nossa página no Facebook
Visite a estante dedicada à filosofia

Em menos de dois anos de casamento, Comte sofreu um ataque nervoso e chegou a tentar o suicídio. Considerava a relação um erro irreparável e acabou por se apaixonar por Clotilde de Vaux. De tanta fé na ciência --infeliz e acometido por distúrbios de saúde-- o pai do positivismo criou uma religião.

Esse caso é narrada em "Os Grandes Filósofos que Fracassaram no Amor", escrito por Andrew Shaffer. O livro relata os desastres amorosos de 37 pensadores. Sócrates, Althusser, Tomás de Aquino, Sartre e, é claro, Auguste Comte estão entre esses ilustres.

Do final do Império ao início da República brasileira, o positivismo, criado pelo francês, esteve em alta. Foram as ideias positivistas --"o amor por princípio e a ordem por base; o progresso por fim"-- que inspiraram o lema escrito na Bandeira Nacional.

O positivismo postula a possibilidade de sistematização e explicação de todos os fenômenos --matemáticos ou sociais--, estipulando leis constantes fundamentadas na observação.

Hoje, as obras do filósofo francês são raramente publicadas no Brasil. Os exemplares, quando encontrados, são parte de alguma coleção de pensadores ou do início da década de 1970.

Abaixo, leia um trecho de "Os Grandes Filósofos que Fracassaram no Amor".

*

O Estranho Evangelho de Comte

Divulgação
Andrew Shaffer reúne e relata os desastres amorosos de 37 pensadores
Shaffer reúne e relata desastres amorosos de 37 pensadores

Para a maioria dos intelectuais, encontrar um novo campo científico já seria legado suficiente. Não para Comte, que também deu início à sua própria religião. Depois de se separar da esposa, ficou obcecado por outra mulher, Clotilde de Vaux. Apesar de não serem amantes, a intensa amizade resultou na fundação de uma nova religião secular: o positivismo - movimento religioso baseado na ciência, através do qual tinha-se a intenção de fazer avançar o pensamento intelectual numa sociedade pós-Iluminismo. Comte rebatizou a nova amiga de "Santa Clotildes" em seus manuscritos, depois que ela faleceu, em 1846.

O movimento do positivismo continuou sem sua santa padroeira. Para a nova Religião, Comte copiou os aspectos mais populares do catolicismo. (Por que modificar algo que faz tanto sucesso?) Assim, a Santíssima trindade foi renomeada "Trilogia Positivista" do Grande Ser, do Grande Meio e do Grande Fetiche. Ele chegou a propor um novo calendário para a sua religião. Comte pensou em tudo, exceto em um aspecto crucial: seguidores. Apesar de a sua religião não ter conseguido juntar mais do que um punhado de devotos comprometidos, abriu caminho para a difusão de organizações seculares humanistas no século XX.

*

"Os Grandes Filósofos que Fracassaram no Amor"
Autor: Andrew Shaffer
Editora: LeYa
Páginas: 208
Quanto: R$ 16,90 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página