Saltar para o conteúdo principal
 
18/03/2013 - 19h30

Leia trecho de 'Dez Bons Conselhos de Meu Pai'

da Livraria da Folha

No livro "Dez Bons Conselhos de Meu Pai", Gustavo Cerbasi revela quais foram os ensinamentos fundamentais que o levaram ao desenvolvimento pessoal e profissional. o autor contou com quatro "pais". Cada um de uma forma --o pai biológico, o avô materno, um tio paterno e o técnico de natação--, eles contribuíram para a sua formação.

Pais devem se envolver na vida escolar dos filhos, defende educadora
Leve seu filho à feira, recomenda nutrólogo
Livro descarta necessidade de curso superior
'Enem Nota Máxima' traz simulados e conteúdo digital

Gustavo Cerbasi é mestre em administração e finanças pela FEA/USP, formado em administração pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com especialização em finanças pela Stern School of Business, da Universidade de Nova York e pela Fundação Instituto de Administração (FIA).

Leciona em cursos de pós-graduação e MBAs de instituições como Universidade de São Paulo, Fundação Instituto de Administração, Fundação Dom Cabral e Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Entre diversos títulos publicados, Cerbasi também é autor de "Casais Inteligentes Enriquecem Juntos", "Mais Tempo, Mais Dinheiro", "Como Organizar Sua Vida Financeira", "Dinheiro: os Segredos de Quem Tem" e "Investimentos Inteligentes".

Abaixo, leia um trecho de "Dez Bons Conselhos de Meu Pai".

*

Divulgação
Livro reúne recomendações para quem deseja progredir na carreira
Livro reúne recomendações para quem deseja progredir na carreira

Acredito que prosperei cedo porque tive a felicidade de conseguir digerir ainda jovem os ensinamentos que meus pais me deram, e também porque tive a oportunidade de colocá-los em prática. Essa constatação me tranquiliza, pois não consigo imaginar um lugar do planeta em que não existam pessoas do bem desejando o melhor para seus filhos. Talvez essas pessoas não consigam criar prosperidade a seu redor porque ignoram o poder que está por trás, por exemplo, de estimular uma criança a ler ou de simplesmente incentivá-la a fazer o dever de casa com capricho. Ignoram que os erros cometidos podem trazer ótimas lições, que, se não puderem ser aproveitadas para corrigi-los, no mínimo servirão de grande ensinamento para seus filhos e netos.

Na prática, ter convivido com vários pais bastante dedicados a me orientar me deu a oportunidade de ter mais de um ponto de vista sobre o que é oportuno e o que não é para eu buscar ser uma pessoa melhor. Não ouso dizer que aprendi a diferenciar o certo do errado, porque esses são conceitos raramente unânimes. Mas sinto que aprendi a colecionar
acertos e a aprender com erros, quando muitos insistem em jogar a toalha diante de qualquer obstáculo. Eu acredito que você também tenha grandes ensinamentos latentes em sua memória, mas talvez ainda não tenha se dado a oportunidade de parar, se organizar e pensar em como aproveitar alguns deles para criar novos mecanismos de prosperidade em sua vida.

Por exemplo, independentemente de quem tenham sido as figuras com papel paterno ou materno em sua vida, inevitavelmente você conviveu com adultos que passaram bons exemplos, e também com adultos que cometeram erros e deixaram lições do que não se deve fazer. Seria natural que essas referências e lições nos servissem de base para termos uma vida bem melhor do que a que as gerações passadas tiveram.

Entretanto, vivemos em uma cultura em que, aparentemente, erros são repetidos geração após geração, principalmente nos assuntos da riqueza e da prosperidade. Há gerações os brasileiros são endividados, mesmo convivendo com juros elevados. Há mais de meio século contamos com a proteção do governo no nosso futuro, mesmo sabendo que a conta da previdência social não fechará. Como nossos pais, insistimos em realizar compras parceladas, mesmo sabendo que esse é um caminho rápido para perder o controle e sujar o nome. É como se resistíssemos a aprender.

Na verdade, o aprendizado existe na teoria, mas resistimos a praticá-lo. Provavelmente, porque a correria da vida moderna não nos permite parar para refletir ou para testar novos caminhos. Preferimos manter as coisas como estão, a correr o risco de sofrer com uma mudança que pode não dar certo. A isso é que se dá o nome de zona de conforto.

Meu papel é mostrar a você, leitor, que a saída da zona de conforto pode lhe trazer bons resultados e pavimentar um caminho de mais prosperidade em sua vida. Ao escrever sobre conselhos que recebi de meus pais, não pretendo transferi-los diretamente a você. Afinal, foram bons conselhos porque vieram de pessoas que me conheciam muito bem, e foram bem-recebidos porque eu conhecia muito bem cada aconselhador. Neste livro, explico como bons conselhos foram transformados em acertos e me ajudaram a prosperar, em todos os sentidos. Transformo esses conselhos em regras que, acredito, você também conseguirá colocar em prática para ter uma vida melhor.

Não tenho dúvidas de que os conselhos e as escolhas de meu pai, Tommaso, foram determinantes para que eu tenha conquistado uma vida realmente rica. Não tenho dúvidas também de que as escolhas que ele, juntamente com minha mãe, fez para os filhos foram fundamentais para sermos bem-sucedidos em nossas carreiras e estarmos bem tanto financeira quanto emocionalmente. É desses conselhos e dos conselhos decorrentes das escolhas que eu trato agora.

*

"Dez Bons Conselhos de Meu Pai"
Autor: Gustavo Cerbasi
Editora: Fontanar
Páginas: 160
Quanto: R$ 19,90 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página