Saltar para o conteúdo principal
 
01/02/2011 - 23h36

Norma Bengell maltratou Glória Pires em "O Guarani", revela biografia

SÉRGIO RIPARDO
editor-assistente da Livraria da Folha

Daryan Dornelles/Márcio de Souza/Folhapress/TV Globo
Biografia conta, em detalhes, os desentendimentos de Norma Bengell e Glória Pires durante projeto e filmagem de "O GuaranI"
Biografia conta desentendimentos de Norma Bengell e Glória Pires durante projeto e filmagem de "O Guarani"

É natural uma biografia autorizada destacar mais as façanhas do biografado do que fatos negativos de sua vida e carreira. No livro sobre Glória Pires, atriz que voltou ao horário nobre na novela "Insensato Coração" (Globo, 21h), há relatos de fatos de bastidores nem sempre tão glamurosos, mas que revelam as atitudes do artista diante dos problemas.

"40 Anos de Gloria" traz, por exemplo, a versão da atriz de "Vale Tudo" sobre suas divergências com a veterana Norma Bengell, a primeira atriz a aparecer nua no cinema brasileiro. Elas brigaram durante as fases de projeto e filmagens de "O Guarani", que acabou prejudicando Bengell devido a problemas na Justiça sobre prestação de contas.

Divulgação
Biografia autorizada revela dados polêmicos da vida pessoal da atriz
Biografia autorizada revela dados polêmicos da vida pessoal da atriz
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

"Nossa convivência ficou muito difícil. Ela implicava comigo por coisas infundadas. Não entendi o porquê daquilo. Uma hora estava tudo bem, em outra, vinha a bad trip. Jamais tive o hábito de ser maltratada. Norma não é uma pessoa de convivência pacífica. Resolvi não me desgastar e trabalhamos juntas até o fim, ela como diretora, eu como atriz, numa relação estritamente profissional, sem empatias. Foi horrível", conta na página 205.

O capítulo dá detalhes sobre o episódio. Norma Bengell convidou Glória para a adaptação do clássico de José de Alencar, para o papel de Isabel, irmã bastarda da protagonista Cecília (Tatiana Issa). Glória aceitou, mas semanas depois, Norma a procurou alegando ter se enganado. Anos depois, Norma a procurou de novo, anunciando que conseguira viabilizar o projeto, reiterando o convite.

"Fiquei grilada, mas nessas horas, treino a minha humildade, suspirei fundo e aceitei", conta Glória no livro.

Divulgação
Em "Os Cafajestes" (62), Norma foi a 1ª atriz nua em filme brasileiro
Em "Os Cafajestes" (62), Norma foi a 1ª atriz nua em filme brasileiro

Só que, mais uma vez, Norma entrou em contato para avisar que havia se enganado de novo. "Não entendi nada e fiquei chateada, lógico, pois eu tinha retomado também uma situação que já estava esquecida, e era uma personagem que eu gostava, de uma história que achava bacana, mas deixei pra lá."

Depois de algumas dias, Norma telefonou para a atriz novamente para convidá-la para o projeto. "Achei aquilo tudo muito esquisito e perguntei qual era, afinal, o problema, já que era a terceira vez que a situação se repetia."

Glória acabou aceitando o papel. "Todavia uma série de desentendimentos entre a diretora e a atriz impregnou o set de discórdia", relatam Eduardo Nassife e Fábio Fabrício Fabretti, autores de "40 Anos de Gloria".

Divulgação
Cristiana Oliveira na pele de Juma, em "Pantanal"; Benedito Ruy Barbosa queria Glória Pires no papel
Cristiana Oliveira na pele de Juma Marruá, na novela "Pantanal"; autor Benedito Ruy Barbosa queria Glória Pires no papel

O livro é cheio de casos de bastidores das novelas e filmes estrelados pela atriz. Na página 211, o leitor descobre que Glória Pires poderia ter vivido a personagem Juma Marruá, da novela "Pantanal", na Manchete, que acabou sendo interpretada pela então desconhecida Cristina Oliveira. Segundo a biografia, Benedito Ruy Barbosa, principal autor de "Pantanal", chegou a convidar Glória Pires.

"Ele havia também me chamado para fazer Juma Marruá, de Pantanal, na Manchete. Houve algum problema, porque ele não desenvolveu a personagem, como havia falado. É horrível quando você espera algo que não vem", desabafa a atriz.

*

"40 Anos de Gloria"
Autores: Eduardo Nassife, Fábio Fabrício Fabretti
Editora: Geração Editorial
Páginas: 346
Quanto: R$ 33,92 (preço promocional, por tempo limitado)
Onde comprar: 0800-140090 ou na Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página