Saltar para o conteúdo principal
 
23/12/2013 - 20h27

Espíritas também temem a morte

FABIO ANDRIGHETTO
da Livraria da Folha

Em 1959, o avião que transportava Chico Xavier (1910-2002) passou por uma forte turbulência. Imaginando a morte certa, ele entrou em pânico. Segundo o relato do próprio médium mineiro no programa "Pinga-Fogo", de 1971, Emmanuel, seu guia espiritual, o repreendeu pela falta de fé na imortalidade da alma.

Divulgação
Livro mostra que a morte deve ser discutida, estudada e compreendida
Autor defende que a morte deve ser discutida e compreendida

Chico Xavier, homem que contribuiu para a divulgação da doutrina no Brasil e autor de dezenas de livros e um sem-número de cartas psicografadas, temeu a morte.

"O espírita também é humano", disse Alexandre Caldini Neto, presidente do jornal "Valor Econômico" e autor de "A Morte na Visão do Espiritismo", em entrevista à Livraria da Folha. "Mesmo os espíritas penam para desencarnar".

No livro, Caldini trata das relações daquilo que os espíritas chamam de desencarnação e reencarnação. Para ele, como a morte parece inevitável, devemos aprender a lidar com ela.

Ouça

Não chame os desencarnados

A responsabilidade pelo desapego, algo diferente da frieza, é de quem morreu e daqueles que continuam na Terra. Mesmo que seja uma pessoa que amamos muito, segundo Caldini, devemos deixá-la seguir o seu caminho. Para exemplificar o resultado de um lamento contínuo, ele citou "Dona Flor e seus Dois Maridos", romance de Jorge Amado. Ouça.

Ouça

Trabalhador compulsivo

Em "Antes de Partir", livro que reúne relatos de 17 pacientes terminais em suas últimas semanas de vida, a enfermeira australiana Bronnie Ware conta que "desejaria não ter trabalhado tanto" é um dos lamentos mais frequentes.

Apesar de o trabalho abrir a possibilidade de evolução intelectual e moral, Caldini defende que, como qualquer outra paixão, trabalhar demais pode ser nocivo. A obsessão pelo sucesso ou pelo dinheiro acompanhará o indivíduo, mesmo desencarnado.

Ouça

Espírita há quase 30 anos, o autor decidiu escrever "A Morte na Visão do Espiritismo" quando a filha adolescente de um amigo teve que lidar com a morte da mãe.

*

A MORTE NA VISÃO DO ESPIRITISMO
AUTOR Alexandre Caldini Neto
EDITORA Belaletra
QUANTO R$ 26 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

 
Voltar ao topo da página