Saltar para o conteúdo principal
 
17/11/2014 - 11h47

Ansiedade afeta mais mulheres do que homens, diz psicólogo

da Livraria da Folha

A ansiedade afeta 20% das mulheres e 8% dos homens, segundo o psicólogo britânico Daniel Freeman, professor de psicologia clínica e membro sênior do Conselho de Pesquisa Médica da Universidade de Oxford.

Divulgação
Livro examina essa emoção-aflição cada vez mais presente nas nossas vidas
Livro examina essa emoção cada vez mais presente no dia a dia

"A ansiedade é uma das emoções fundamentais, uma parte tão central do que significa ser humano quanto a felicidade, a tristeza ou a raiva", escreve Freeman em "Ansiedade".

"Em suas formas mais graves, a ansiedade é também um dos tipos mais comuns de transtorno psicológico, afetando milhões de pessoas em todo o mundo em algum momento da vida".

O livro, escrito em parceria com o irmão, Jason Freeman, autor e editor especializado em psicologia, apresenta os principais tipos, como o transtorno de ansiedade generalizada, sua relação com o estresse, a influência genética e do ambiente e os tratamentos disponíveis.

Abaixo, leia um trecho.

*

Capítulo 1

O QUE É A ANSIEDADE?

Sabe aqueles dias em que a coisa está preta? [...] tristeza é o que você sente porque engordou ou porque está chovendo há muito tempo. Você fica triste, é só isso. Mas terrível mesmo é quando a coisa fica preta: quando você fica com medo e sua para danar, mas não sabe do quê está com medo. Sabe que alguma coisa ruim vai acontecer, mas não sabe o quê.

Holly Golightly em Bonequinha de luxo, de Truman Capote

A ansiedade nunca desaparece. Você não encontra de repente um planalto ensolarado onde jamais fica ansioso por motivo algum - a ansiedade só assume formas e estilos diferentes.

Michael Palin

-

Os dias em que "a coisa fica preta" para Holly Golightly podem ser terríveis, mas também são absolutamente normais. Ninguém passa pela vida sem ficar ansioso de vez em quando - talvez antes de tomar um avião, fazer um discurso ou conhecer pessoas novas. E, embora aquele planalto ensolarado e livre de ansiedade possa parecer atraente, provavelmente seja melhor não alcançá-lo. Como veremos, a ansiedade não é apenas normal; é, muitas vezes, essencial.

Por outro lado, para um número cada vez maior de pessoas, a ansiedade é um problema sério. O poeta W. H. Auden publicou A era da ansiedade em 1947. Isso, hoje, parece mais um feito notável de profecia do que o comentário sobre a sociedade do pós-guerra que Auden pretendia. O principal estudo sobre saúde mental realizado nos Estados Unidos, por exemplo, revelou que 18% dos adultos padeceram de algum tipo de transtorno de ansiedade nos doze meses anteriores. Esse número refere-se apenas à ansiedade que é grave o bastante para garantir um diagnóstico médico. Ainda assim, indica que aproximadamente 40 milhões de adultos só nos Estados Unidos estão sofrendo de níveis clínicos de ansiedade - uma estatística extraordinária.

Um número ainda maior de pessoas está lutando contra níveis de ansiedade que não satisfazem os critérios para um transtorno propriamente dito. Segundo um estudo da Mental Health Foundation, do Reino Unido, 37% dos adultos entrevistados sentiam-se mais assustados e ansiosos do que no passado. Mais de 75% afirmaram que o mundo havia se tornado um lugar mais assustador ao longo dos últimos dez anos. E quase um terço (29%) admitiram que a ansiedade e o medo provocaram uma mudança em seu comportamento, impedindo-os de fazer coisas que gostariam de ter feito.

No outro extremo, a ansiedade cotidiana é tão natural - e benéfica - quanto qualquer outra emoção. Todos sabemos o que significa estar ansioso; sentimos na própria pele, alguns de nós com frequência. Se lhe pedíssemos para descrever a ansiedade em cinco palavras, você certamente não precisaria pensar muito.

[...]

*

ANSIEDADE
AUTOR Daniel Freeman e Jason Freeman
EDITORA L&PM Editores
QUANTO R$ 21,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página