Saltar para o conteúdo principal
 
20/01/2015 - 15h50

Tenente-coronel investiga a ofensiva nazista contra o Brasil

da Livraria da Folha

Em alguns livros didáticos, a resposta para a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial é simples: devido à indecisão diplomática de Getúlio Vargas, submarinos nazistas torpedearam navios mercantes e de passageiros brasileiros no litoral do Nordeste. A ofensiva justificou o envio da Força Expedicionária Brasileira (FEB) para a Europa ao lado dos Aliados.

Por que o Terceiro Reich provocaria a morte de inocentes e a destruição de embarcações desarmadas de um país que ainda não tinha se envolvido na Segunda Guerra? O que causava a oscilação de Vargas? Como as forças políticas se posicionavam no Brasil?

Divulgação
Livro traz aspectos inexplorados da ação militar que mudou o destino do Brasil
Livro traz aspectos inexplorados da ação militar que mudou o Brasil

No livro "Operação Brasil", o tenente-coronel Durval Lourenço Pereira investiga as causas da ofensiva naval nazista e o contexto político e econômico da Era Vargas (1930-1945). Segundo o autor, antagonismos internos acompanharam a República desde a sua proclamação.

Comunistas, integralistas e liberais tinham ideias distintas de como conduzir a nação. Manifestações políticas violentas e conspirações para tomar o poder não eram raras. Além disso, a influência alemã em território nacional era considerável.

"No início de 1938, quando Vargas visitou o Rio Grande, o tenente-coronel Cordeiro de Farias chamou sua atenção para a infiltração nazista nos estados do Sul", conta. "Retornando à capital, o presidente reuniu-se com o chefe do Estado-Maior e o ministro da Justiça, decidindo baixar uma série de medidas drásticas contra o NSDAP [Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (National Sozialistische Deutsche Arbeiter Partei)]".

"Em 1942, mais de um milhão de alemães e de descendentes moravam no Brasil, dos quais 220 mil nascidos na Alemanha. Havia cerca de 2.300 sociedades, clubes e associações alemãs no país –em sua maioria, nas mãos dos nazistas".

A situação de Vargas não era das mais confortáveis para negociar benesses com as nações beligerantes, como poderia propor uma leitura simplista do período.

"Operação Brasil" é fundamentado em pesquisas nos arquivos oficiais da Alemanha (Bundesarchiv), do Brasil, como o Centro de Documentação da Marinha e o Arquivo Histórico do Exército, e dos EUA. Biografias, diários e outras publicações de Vargas, Dutra, Góes Monteiro, Oswaldo Aranha, Churchill, Dönitz, Montgomery e Rommel também foram consideradas.

Tenente-coronel do Exército Brasileiro, Durval Lourenço Pereira é bacharel em ciências militares pela Academia Militar das Agulhas Negras e mestre em operações militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Ele produziu e dirigiu o documentário "O Lapa Azul", sobre 3º Batalhão do 11º Regimento de Infantaria na Segunda Guerra, exibido pelo History Channel, A&E Mundo e RT.

Leia trecho de "Operação Brasil".

*

OPERAÇÃO BRASIL
AUTOR Durval Lourenço Pereira
EDITORA Contexto
QUANTO R$ 39,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página