Saltar para o conteúdo principal
 
25/03/2015 - 14h15

'Mulheres agem como uma filha obediente', diz especialista em linguagem corporal

da Livraria da Folha

Mulheres não querem ser submissas, mas, pela educação que receberam desde a primeira infância, apresentam um comportamento que demonstra insegurança e subserviência. No trabalho, segundo a especialista em linguagem corporal e coach Cornelia Topf, essa conduta limita a ascensão profissional.

"As mulheres atrapalham a si mesmas com sua linguagem corporal", escreve Topf em "Linguagem Corporal para Mulheres". "Pois de forma tão automática quanto o homem que age como um bronco e se beneficia disso, quando não refletem, as mulheres geralmente agem como uma filha obediente, prejudicando a si mesmas".

Divulgação
Autora encoraja o suposto sexo frágil a dar mais poder à sua própria presença
Autora encoraja o suposto sexo frágil a dar poder à presença

Mesmo sem controle da linguagem corporal, homens tendem a manifestar um comportamento rústico, que é visto como demonstração de autoconfiança, obstinação e competência.

"Quando os homens não se atentam à sua linguagem corporal, as consequências são mais positivas que negativas".

Poucas pessoas sabem ler a postura e os gestos dos outros ou aprendem como controlar as próprias mensagens não verbais. Os sinais são transmitidos e recebidos inconscientemente, sem muitos filtros racionais.

Como consequência prática, os diplomas e as experiências profissionais das mulheres sofrem com duas barreiras: erros na linguagem corporal e o machismo –que está evidentemente relacionado ao tipo de leitura que se faz do comportamento feminino.

Encare

Google Plus

O contato visual é um dos instrumentos da linguagem corporal que mais transmite força. Diferentemente dos homens, as mulheres evitam encarar ou desviam o olhar com facilidade.

Para Topf, mais uma armadilha cultivada pela criação. "A maioria das mulheres desvia o olhar para baixo porque, por educação, não querem encarar o outro".

"Até os maiores literatos escrevem: 'Acanhada, ela desviou os olhos para o chão'", conta Topf. "Acanhada, envergonhada, modesta, insegura, insincera - é o que é atribuído às mulheres por isso! É claro que é idiotice! Mas é esse o resultado".

Ao estabelecer contato visual, as mulheres sorriem com mais frequência do que os homens. "Por essa razão o seu olhar é recebido como amigável e inofensivo - em contrapartida ao sério e sóbrio dos homens".

*

LINGUAGEM CORPORAL PARA MULHERES
AUTOR Cornelia Topf
EDITORA Vozes
QUANTO R$ 19,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página