Saltar para o conteúdo principal
 
29/02/2016 - 10h40

Em 'Que Horas Ela Vai?', jornalista apresenta boletim de ocorrência do governo Dilma

da Livraria da Folha

Divulgação
Em livro, o jornalista Guilherme Fiuza apresenta o roteiro de um dos períodos mais dramáticos da história recente
Em livro, o jornalista Guilherme Fiuza apresenta o roteiro de um dos períodos mais dramáticos da história recente

Em "Que Horas Ela Vai?", Guilherme Fiuza opina que o Brasil se transformou em um país em contagem regressiva depois da reeleição de Dilma Rousseff.

Fraco interesse do brasileiro em política vem de líderes ruins, diz autor

No livro, publicado pela editora Record, o autor de "Não É a Mamãe" apresenta o roteiro de um dos períodos mais dramáticos da história recente: o país em queda livre nas mãos de uma presidente paralisada.

Além disso, o autor revela seu lado mais sarcástico para comentar acontecimentos e fatos do governo Dilma. O título - uma espécie de "diário da agonia" da presidente - é organizado em verbetes, tudo em ordem alfabética, para facilitar a localização dos escândalos.

Guilherme Fiuza é jornalista e nasceu no Rio de Janeiro em 1965. Assina o livro "Meu Nome Não É Johnny", que deu origem ao filme assistido por mais de dois milhões de espectadores. Também é autor de "3.000 Dias no Bunker", reportagem sobre os bastidores do poder durante a guerra contra a inflação no Brasil. Trabalhou em diversos veículos de comunicação, como "O Globo" e "Jornal do Brasil".

*

QUE HORAS ELA VAI?
AUTOR Guilherme Fiuza
EDITORA Record
QUANTO R$ 19,90 (preço promocional *)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página