Saltar para o conteúdo principal
 
31/07/2010 - 15h05

Família é importante para recuperação de dependentes químicos; ouça psiquiatra

FABIO ANDRIGHETTO
da Livraria da Folha

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

Ivan Mario Braun, psiquiatra e autor de "Drogas: Perguntas e Respostas" (Summus, 2010), afirmou que a ação da família pode ser decisiva na recuperação de um dependente de drogas.

Em entrevista para a Livraria da Folha, Ivan falou sobre os riscos do consumo dessas substâncias e de seu tratamento. Ouça.

Ivan

Divulgação
Especialista na área responde às principais questões sobre drogas
Especialista na área responde às principais questões sobre drogas

Seu livro --baseado em pesquisas científicas e nas perguntas mais frequentes feitas em ambulatórios e consultórios-- descreve aspectos da intoxicação, da abstinência, do abuso e da dependência de drogas, lícitas e ilícitas.

Os temas são divididos em grupos de substâncias, como álcool, alucinógenos, anfetaminas e substâncias semelhantes, nicotina, cafeína, cocaína, drogas projetadas e outros, esclarecendo as dúvidas sobre cada um.

Por sua facilidade de consulta e objetividade, a publicação é útil para os familiares, dependentes e profissionais da saúde. Envie dúvidas para o autor pelo email: ivan.mario@usp.br.

Leia um trecho extraído do exemplar que esclarece as características principais da dependência.

*

O que é dependência?

Baseado na conceituação do Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, IV Edição (DSM-IV), da Associação Psiquiátrica Americana (APA), a pessoa está dependente de uma substância quando não consegue parar definitivamente de usá-la apesar dos prejuízos que ela lhe traz. Ao contrário do abuso, o conceito de dependência está fortemente ligado à idéia de perda de controle sobre o uso. A maioria das pessoas com dependência, ao passar algum tempo afastada da substância, sente uma forte vontade de usá-la; essa vontade costuma ser chamada de "fissura". Muitas vezes, decorrente da suspensão ou diminuição abruptas do uso de determinadas drogas, ocorre um quadro mais intenso - incluindo sinais físicos - denominado síndrome de abstinência. Frequentemente, a pessoa dependente também precisa aumentar suas doses de droga para conseguir o mesmo efeito de prazer ou alívio de sofrimento, ao que se chama tolerância. Por conta do mal-estar causado pela ausência da droga e da vontade de usá-la, o indivíduo passa grande par te de seu tempo usando a substância, adquirindo-a ou sofrendo suas conseqüências. É igualmente comum a pessoa se propor a usar certa quantidade de droga, mas acabar usando mais.

Critérios da APA para dependência de uma substância:

Padrão mal-adaptativo de uso de substância, levando a prejuízo ou sofrimento clinicamente significativo, manifestado por três (ou mais) dos seguintes critérios, ocorrendo a qualquer momento no mesmo período de doze meses:

TOLERÂNCIA: definida por qualquer um dos seguintes aspectos:

  • necessidade de quantidades progressivamente maiores da substância para adquirir a intoxicação ou o efeito desejado;
  • acentuada redução do efeito com o uso continuado da mesma quantidade de substância.

ABSTINÊNCIA: manifestada por qualquer dos seguintes aspectos:

  • síndrome de abstinência característica para a substância;
  • a mesma substância (ou uma substância estreitamente relacionada) é consumida para aliviar ou evitar sintomas de abstinência.

A substância é frequentemente consumida em maiores quantidades ou por um período mais longo do que o pretendido.

Há um desejo persistente ou esforços malsucedidos em reduzir ou controlar o uso da substância.

Muito tempo é gasto em atividades necessárias para a obtenção da substância (consultas a múltiplos médicos, longas viagens de automóvel etc.), na utilização da substância (por exemplo, fumar em grupo) ou na recuperação de seus efeitos.

Importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas são abandonadas ou reduzidas, em virtude do uso da substância.

O uso da substância continua, apesar da consciência de haver um problema físico ou psicológico persistente ou recorrente que tende a ser causado ou exacerbado pela substância.

Por exemplo, o indivíduo continua usando cocaína mesmo sabendo que sua depressão é induzida por ela, ou mantém o consumo de bebidas alcoólicas, embora reconheça que uma úlcera piorou pelo consumo de álcool.

*

"Drogas: Perguntas e Respostas"
Autor: Ivan Mario Braun
Editora: Summus
Páginas: 200
Quanto: R$ 39,24 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

 
Voltar ao topo da página