Saltar para o conteúdo principal
 
01/04/2011 - 11h11

Romance narra história de menino que tinha o dom de detectar mentiras

ARIADNE ARAÚJO
colaboração para Livraria da Folha

O menino examinou seu livro favorito, o "Guinness dos recordes", para ver se havia no mundo alguém com um dom igual ao seu: o da detecção de mentiras. Mas, "não há ninguém", disse a si mesmo. Então, ele era o único em todo o planeta a sentir um enjoo inevitável e as orelhas em fogo diante de alguém que não diz a verdade. Assim, John Egan, o personagem pré-adolescente do livro "O Menino que Odiava Mentira" (Companhia das Letras), conta na primeira pessoa sua história em busca de compreender melhor esse mundo dos adultos.

Divulgação
Conheça história do menino que tinha o dom de detectar mentiras
Conheça história do menino que tinha o dom de detectar mentiras

Filho de uma mãe com problemas de demonstrar afeto e de um pai desempregado e mentiroso, o menino vive em um mundo de conflitos velados, onde as verdades nunca ou quase nunca são ditas. Então, o sonho de um dia figurar no Guinness com seu novo dom leva-o a testar sua aptidão com os membros da família, em especial seu pai e sua avó. Mas ele descobre que há uma classe de mentiras que não tem efeitos nele: "Ela mentiu, mas não tenho nenhuma reação. É o tipo de mentira que a gente chamaria mentira inocente".

A mãe, obcecada pela altura e os primeiros sinais de puberdade do filho, tem a ideia fixa de levá-lo ao médico para respostas técnicas de praxe às dúvidas eventuais do menino. "Aconteceu alguma coisa esquisita ou indesejada com você da cintura para baixo", pergunta o diretor da escola tentando uma conversa entre homens. À essa rigidez das normas, o menino responde com náuseas e vômitos. Na escola, molha as calças e, para não perder o respeito do melhor amigo, diz que foi mais uma tentativa de recorde: "aguentei 26 horas".

O menino que odiava mentiras aprende, então, a dizê-las para salvar a pele. A escritora do romance M.J. Hyland é londrina, filha de pais irlandeses. Por isso, muito do comportamental destas 2 sociedades está retratado na trama. A complexidade psicológica do personagem criada por ela levou o livro à lista dos finalistas do prestigioso Man Booker Prize Award e empurrou o personagem em caminhos perigosos que quase tocam à loucura.

Ele só queria a verdade, mas o preço a pagar foi alto demais. "E o que você achou que ia acontecer quando a verdade viesse a tona?", pergunta a mãe, chorando. A verdade inconveniente fez o pai sair de casa com uma mala. Tarde demais. John Egan não tinha mais seu mundo perfeito na volta da escola. Ele quis por um fim a tudo isso enquanto apertava com força o travesseiro no rosto da mãe. Agora ele sabia: a mentira é uma espécie de fiel da balança que ajuda a equilibrar o mundo. E foi aí que o seu dom sumiu.

Siga a Livraria da Folha no Twitter

*

"O Menino que Odiava Mentira"
Autora: M.J. Hyland
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 376
Quanto: R$ 42,50 (preço promocional)
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página