Saltar para o conteúdo principal
 
12/04/2012 - 20h30

Marqueteiro revela bastidores das relações entre política e mídia

da Livraria da Folha

Intrigas, conchavos, reviravoltas, surpresas de última hora. Guerras de vida e de morte, eleição é coisa para quem tem nervos de aço. Chico Santa Rita, publicitário, jornalista e estrategista em marketing político, já esteve no olho do furacão de muitas destas lutas pelo voto do eleitor brasileiro e conhece os segredos e os bastidores de algumas das mais polêmicas e emocionantes eleições da história da redemocratização no Brasil.

Divulgação
Marqueteiro conta episódios dos bastidores das eleições
Marqueteiro conta alguns episódios dos bastidores das eleições

Veja lista de livros sobre marketing político
Conheça nossa página no Facebook
Visite a estante dedicada às ciências humanas
Jingle ainda é a melhor arma eleitoral; relembre alguns

De dentro para fora, as histórias destas eleições são agora mostradas em "Batalhas Eleitorais: 25 anos de Marketing Político". Das cem campanhas eleitorais de que Chico Santa Rita participou, algumas ele considera históricas. Por exemplo, a que elegeu Fernando Collor presidente em 1989 e a que levou o povo brasileiro a escolher a forma e o sistema de governo para o país - se a república ou a monarquia, se presidencialista ou parlamentarista.

Na campanha de Fernando Collor, o marqueteiro chegou no meio de um quiproquó entre os membros da equipe, justo no momento da batalha final contra o outro candidato que crescia nas pesquisas, Lula. Nas páginas do livro, o desespero de um nervoso e agitado Collor, "com medo de morrer na praia" e a solução "salvadora" que cai nas mãos da equipe em forma de uma gravação. Na fita, uma ex-namorada de Lula confirmava o que já havia dito para o "Jornal do Brasil" oito meses atrás. Mas na televisão, o depoimento tinha força de uma bomba.

A operação para parar de vez a sangria de votos para Lula deu certo e causou uma polêmica nacional. Chico Santa Rita lembra ainda das acusações de favorecimento para ajudar Collor por parte do "Jornal Nacional". Segundo o marqueteiro, Alberico Sousa Cruz, o diretor dos telejornais da Central Globo de Jornalismo e Collor falavam-se com frequência e, na intimidade da campanha, Alberico era citado "como uma pessoa disposta a ajudar". Por estas e outras, Chico Santa Rita perdeu o gosto e deixou a campanha.

Em 2000, na eleição para a Prefeitura de São Paulo, Santa Rita tem novo convite para dirigir a comunicação do candidato ex-presidente do Brasil. "Quem conhece Collor não trabalha para Collor", respondeu o marqueteiro.

As lições tiradas de muitos destes episódios vêm juntar mais uma pedra para a consolidação de uma atividade, o marketing político, que no Brasil é ainda muito nova. Uma história que começa no fim da década de 70, quando os políticos puderam pedir votos livremente nas ruas, mas que tem, sem dúvida, gerado paixões e dado muito o que falar ao longo dos anos.

*

"Batalhas Eleitorais"
Autor: Chico Santa Rita
Editora: Geração Editorial
Páginas: 260
Quanto: R$ 9,90 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página