Saltar para o conteúdo principal
 
30/01/2011 - 22h22

Livro raro do início do século 19 ensina arte de conhecer mulheres pela fisionomia

da Livraria da Folha

Em 300 estantes de aço, também dentro de sacos ou em pilhas e pilhas pelo chão, um universo de mais de 90 mil volumes. Nessa biblioteca gigante, raridades - algumas datadas do século 16 ao 19. O dono desse acervo, o médico Cássio Galvão Monteiro, falecido em 2004, era capaz de viajar para lugares distantes, apenas para garimpar livros raros e levá-los para esse paraíso dos bibliófilos que ele montou sozinho, ao longo da vida, em 700 metros de sala, em sua chácara em Atibaia, interior de São Paulo.

Dentre o formidável acervo, um pequeno exemplar, editado em Paris em 1815, chama a atenção. Agora traduzido e editado em português, "O Lavater das senhoras ou a arte de conhecer as mulheres pela sua fisionomia" (Imprensa Oficial) está ao alcance dos leitores brasileiros. Com texto do editor belga Edouard Hocquart (1787-1870), considerado um dos precursores da grafologia, o livro reproduz as ilustrações a cores de Johann Kaspar Lavater (1741-1801), estudioso da fisiognomonia.

Divulgação
livro raro reproduz ilustrações de estudioso da fisiognomonia feminina
Livro raro reproduz ilustrações de estudioso da fisiognomonia feminina

No século 19, o livro foi ampliado e reeditado pelo menos cinco vezes em três anos, o que mostra o interesse que a obra de Lavater despertava na época. Pastor suíço, ele acreditava que se pode conhecer o caráter das pessoas pelo estudo da fisionomia. Para provar sua teoria, dedicou parte de sua vida a estudos sobre o assunto. Sobre o trabalho de Lavater, o editor belga Hocquart comenta que o estudo é um guia para os que desejam conhecer "as variações fugitivas de um caráter".

Na edição em português, além das ilustrações e observações sobre 30 tipos diferentes de caráter feminino, o livro traz estudo sobre a fisionomia das mulheres das principais nações européias, um ensaio sobre os meios de gerar crianças inteligentes e a tradução de um trecho da carta da escritora francesa Amandine-Aurore Lucile Dupin, conhecida como George Sand, ao compositor Franz Liszt. Retirada da obra "Lettres d'un voyageur" e escrita por volta de 1835, a carta fala sobre Lavater e a fisiognomonia.

Inspirados por essa e outras raridades do acervo do doutor Cássio Galvão, a Oficina do Livro Rubens Borba de Moraes e a Biblioteca Paulo Masuti Levy iniciaram o projeto Biblioteca Tipográfica & Cultural. Através do BT&C, a ideia é apresentar ao público obras de certa antiguidade, ou parte delas, e divulgar aspectos da evolução tipográfica e também cultural - passagens das obras, histórico do autor e de seu trabalho.

*

"O Lavater das Senhoras"
Autor: Edouard Hoaquart
Editora: Imprensa Oficial
Páginas: 152
Quanto: R$ 35
Onde comprar: 0800-140090 ou na Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página