Saltar para o conteúdo principal
 
25/11/2010 - 20h20

Editora católica abre o jogo sobre as restrições do Vaticano na hora de publicar livro

FABIO ANDRIGHETTO
da Livraria da Folha

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

Publicar livros sobre islamismo e protestantismo --especialmente se a edição apresentar a religião por meio de análise histórica e antropológica-- parece utopia para uma editora católica, certo? Errado.

Divulgação
Padre Marcelo Araújo contou quais são as restrições impostas pelo Vaticano
Padre Araújo contou quais são as restrições impostas pelo Vaticano

No segundo semestre deste ano, a Santuário --editora fundada em 1900 por missionários responsáveis pelo atendimento religioso--, colocou nas estantes das livrarias "Calvino e a Educação para a Solidariedade" e "Islã: Religião e Civilização".

Os mais afoitos se lembrariam das cruzadas e da caça às bruxas, mas se esqueceriam dos salesianos, jesuítas e agostinianos --ordens religiosas dedicadas ao estudo e ao ensino. Contrariando a expectativa inicial da maioria dos ocidentais, no século 21, os católicos se mostram tolerantes e dispostos ao diálogo.

Intrigada com o espírito democrático dos vilões favoritos de Dan Brown, a Livraria da Folha falou com padre Marcelo Araújo, diretor geral da editora. Em entrevista, o eclesiástico contou quais são as (poucas) restrições impostas pelo Vaticano. Ouça.

Padre 1

Visite a estante dedicada à religião

 
Voltar ao topo da página