Saltar para o conteúdo principal
 
28/11/2010 - 19h10

Antropóloga explica o significado das gírias usadas por criminosos

da Livraria da Folha

Divulgação
Antropóloga explora um universo pouco conhecido, mas impossível de ser ignorado
Antropóloga conduz o leitor por um mundo desconhecido e controverso

Durante seis anos, enquanto seu marido cumpria pena, a antropóloga Karina Biondi frequentou diversas prisões do Estado de São Paulo e reuniu informações sobre o universo pouco conhecido do PCC (Primeiro Comando da Capital), facção criminosa que, há quatro anos, levou pânico às ruas de São Paulo.

Desenvolvida em sua tese de mestrado, a pesquisa está no livro "Junto e Misturado" (Terceiro Nome, 2010). O título do volume, dentro das gírias do crime, é o termo utilizado quando não é mais possível distinguir as unidades carcerárias.

Karina conviveu entre criminosos, inocentes e familiares até o dia em que seu marido foi inocentado das acusações. Por meio de relatos e de sua experiência, o volume explica a história, o modo de funcionamento, a ética e a organização política dos criminosos.

Visite a estante dedicada às ciências humanas

Considerado o primeiro trabalho etnográfico sobre o PCC, o exemplar traz um "glossário de termos nativos". Abaixo, conheça alguns dos termos usados pelos criminosos.

*

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

Atrapalhar correria: Atrapalhar atividades.

Axé: Chance; atenuação de uma falta.

Blindar (a mente): não deixar se "levar pelo psicológico".

Cabeça branca: Diretor da unidade prisional.

Cabuloso: Aquele que não deixa ninguém subjugá-lo, "entrar em sua mente". É aquele que, em suma, é senhor de si.

Cunhada: Companheira do "irmão".

Esticar o chiclete: Procedimento que objetiva o esclarecimento de situações.

Fita: Ação, tarefa ou situação.

Invadir a mente: Ação que visa convencer ou persuadir alguém; o mesmo que "dar um psicológico"

Irmão: Membro "batizado" no PCC.

Mular: O mesmo que brincar. O verbo "brincar", entre os presos, possui conotação sexual e não utilizado para se referir a relações jocosas.

*

"Junto e Misturado"
Autora: Karina Biondi
Editora: Terceiro Nome
Páginas: 248
Quanto: R$ 28,00 (preço promocional)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página