Saltar para o conteúdo principal
 
02/02/2011 - 17h16

Amigos sinceros ajudam você a superar dificuldades e a virar uma pessoa melhor

da Livraria da Folha

Divulgação
Conheça o poder da resiliência e afaste o sofrimento de sua vida
Conheça o poder da resiliência e afaste o sofrimento de sua vida

Quem você procura quando quer ouvir a verdade? Em quem você confia tanto, que possa te dizer as coisas como elas são, sem papas na língua? Para quem você telefona às 3 da manhã, em meio a uma crise ou para dar uma boa notícia? Se você não tem esse amigo do peito, trate de encontrá-lo. Segundo a psicoterapeuta Beth Miller, essas amizades sinceras e desinteressadas são importantes grupos de apoio, ajudam você no auto-conhecimento e auto-crítica e fazem bem à sua saúde física e emocional.

Eles nos ajudam a ser resilentes. A palavra é desconhecida da grande maioria, mas é o tema de estudo de Beth Miller. Em "Mulher Vulnerável: 12 qualidades para desenvolver a resilência" (Melhoramentos), ela define o termo como a capacidade de recuperação que temos (ou não) diante de uma situação problemática. Quando somos, ou nos tornamos resilentes, superamos momentos ruins, enfrentamos nossos demônios, nossas catástrofes pessoais e saímos disso melhorados. Para a autora, essa é uma qualidade essencial nessa vida.

Todo mundo já passou por isso - divórcio, fim de amor, morte de um parente, desemprego, doença. Mas cada um encara isso de forma diferente. Alguns conseguem se erguer rapidamente, outros ficam para sempre feridos. Mas saiba, esses problemas nos ajudam a produzir a pérola rara que há em nós. Em sua pesquisa, a autora descobriu, a resilência é natural, pois nossa cultura nos ensina a dar a volta por cima, mas ninguém é resilente o tempo todo. Às vezes, o baque é grande e pega você de surpresa.

Para os que pensam que não são, que nunca foram, ou que deixaram de ser, a boa nova é que você pode aprender ou reaprender a ser. "A resilência pode ser cultivada, reaprendida, desenvolvida", diz Beth Miller. Mas, para desenvolver essa força e coragem mental e emocional, você tem dever de casa a fazer. O processo da resilência é a interligação de 12 qualidades que dão suporte ao seu "eu" mais íntimo. Entre esses pontos, um bom círculo de amigos e mentores, pois ninguém é resilente sozinho.

No livro, um ponto a ponto no caminho da resilência. Para ajudar na compreensão do leitor, Beth Miller traz histórias de vida. Ao final de cada capítulo, também um exercício de reflexão, ou seja, perguntas que funcionam "como dedo na ferida", colocadas pela autora. No epílogo, Miller afirma: "nos tornamos graciosas, desapegadas e muito mais resilentes à medida que nos dedicamos a alguém ou a alguma coisa". Entre as sugestões, então, o trabalho voluntário. Ajudando os outros a se levantarem, você se levanta também, diz ela.

 
Voltar ao topo da página