Saltar para o conteúdo principal
 
23/04/2011 - 11h00

Elisete Cardoso inaugurou a Bossa Nova e foi tiete de Carmen Miranda

da Livraria da Folha

Divulgação
Trajetória da bela carioca que se consagrou com samba-canção
Trajetória da bela carioca que se consagrou com o samba-canção

A música brasileira, embalada por todos os seus ritmos, deve muito às vozes femininas, que com força, charme e sexualidade, encantaram milhões com as melodias que fizeram dançar, chorar e lutar pelos sonhos em voga.

O jornalista e escritor Sérgio Cabral, contudo, resgata a história de uma entre tantas, que englobou todas essas características e fez um pouco mais.

"Elisete Cardoso - Uma Vida" descortina o percurso profissional da cantora responsável por gravar o disco inaugural da Bossa Nova, "Canção do Amor Demais", com destaque para o sucesso "Chega de Saudade", de Tom e Vinicius, onde se ouve ao fundo a batida característica do violão de João Gilberto.

Essa curiosidade, para quem gosta de música brasileira, não é nenhuma novidade (apesar de ser sempre gostoso ouvir a história de novo). Mas o livro reconstrói muito mais que isso, e apresenta a Elisete criança, a cantora do rádio, o convívio com os bambas Jacob do Bandolim, Pixinguinha e Noel Rosa e todo o percurso glorioso que a levou a cantar Villa-Lobos no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Comente a nota com seus seguidores

Sempre muito discreta na vida particular, Cabral revela com respeito algumas curiosidades da cantora, os amores, medos e sonhos, assim como passagens engraçadas do lado tiete de Elisete.

"Era uma fã dos artistas da época, como prova uma fotografia das irmãs Carmen e Aurora Miranda que guardou como relíquia. Na foto, sob a dedicatória 'A Elisete, com sorrisos fraternais oferece Carmen e Aurora Miranda', foi registrada a data: 20 de fevereiro de 1936."

As mais de 300 páginas relembram as comemorações dos 50 anos de carreira da "Divina", apelido dados pelos sambistas, e também apresentam a discografia completa da artista. Elisete morreu em 7 de maio de 1990.

Sérgio Cabral é um dos maiores conhecedores de música brasileira, seja por seu contínuo estudo do tema ou pela convicência direta de amizade com muitos dos principais artistas. Ele também é responsável pelas biografias de "Tom Jobim", "Ataulfo Alves" e "Nara Leão".

*

"Elisete Cardoso - Uma Vida"
Autor: Sérgio Cabral
Editora: Companhia Editora Nacional
Páginas: 416
Quanto: R$ 42,00
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página