Saltar para o conteúdo principal
 
14/06/2011 - 17h00

Escritora lança ensaio sobre tremedeira nervosa que a atacou

da Livraria da Folha

Divulgação
Ensaio perscruta relação entre dimensões biológica e intelectual
Ensaio perscruta relação entre dimensões biológica e intelectual
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

"A Mulher Trêmula" (Companhia das Letras, 2011), da escritora americana Siri Hustvedt, reúne reflexões da autora sobre a linha tênue que existe entre o que somos e as condições biológicas que nos acometem.

O tema chegou até a autora depois que ela começou a ter crises de tremedeira. O primeiro ataque teve início em uma homenagem pública ao pai dela, um professor universitário que havia morrido há dois anos. Enquanto o corpo inteiro dela balançava, a mente e o discurso que proferia continuavam perfeitamente bem.

O episódio, seguido de muitos outros, suscitou toda espécie de questionamentos da intelectual. Na obra, ela conta como a doença foi investigada por ela, pelos médicos e psicanalistas, em busca de uma explicação para sua origem e possível cura.

Envolta em referências vindas de autores da psicanálise e da literatura como Oliver Sacks, Sigmund Freud (1856-1939) e Fiódor Dostoiévski (1821-1881), Hustvedt reflete sobre o próprio sofrimento e sobre como escrever sobre ele faz parte do processo de compreendê-lo.

A escritora é responsável pelas ficções "O Encantamento de Lily Dahl", "Desilusões de um Americano" e "O Que Eu Amava".

*

"A Mulher Trêmula"
Autora: Siri Hustvedt
Editora: Marco Zero
Páginas: 208
Quanto: R$ 35,90 (preço promocional, por tempo limitado)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página