Saltar para o conteúdo principal
 
27/07/2011 - 13h00

Use versos de Bocage nas conquistas amorosas

da Livraria da Folha

Aberto o peito, o coração rasgado
Pelo agudo punhal do apartamento,
Qual pombinho, que foi de açor cruento
Pelas garras mortais atravessado;

Assim num cego amor já cego e louco,
Envio, alma querida, envio aos ares
De quando em quando um ai trêmulo e rouco;

Mas tantas aflições, tantos pesares
Tudo é pouco, Gertrúria, tudo é pouco,
Se inda eu vir teus olhos singulares.

Trecho do soneto "A Gertrúria Ausente".

Divulgação
Escritor português rimou as alegrias e agruras trazidas pelo amor
Poeta português cantou alegrias e tristezas trazidas pelo amor

O poeta português Bocage (1765-1805) foi um dos escritores que cantaram o amor com mais intensidade na história da poesia em nossa língua. Os versos de seus sonetos inspiraram e continuam a mexer com os amantes.

Enviar um trecho de um dos seus textos, reunidos na antologia "O Delírio Amoroso & Outros Poemas" (L&PM Pocket, 2011), em promoção, por R$ 11,90, na Livraria da Folha, pode dar um toque especial para embalar um começo de relação ou até exprimir toda a dor que nos acomete nos momentos de amargura.

Não será um "pecado literário" tão grande dos leitores colocar o nome da pessoa amada no lugar das deusas e amantes de Bocage. É só não esquecer de avisar quem é o verdadeiro autor dos versos usados na declaração.

E para quem achar o pré-romantismo do português por demais exagerado, os poemas sobre o amor de Vinicius de Morais, Carlos Drummond de Andrade ou Affonso Sant'Anna, podem dar conta do recado.

Bocage para comover

Eu louco, eu cego, eu mísero, eu perdido
De ti só trago cheia, ó Jônia, a mente;
Do mais, e de mim mesmo ando esquecido.

Trecho do soneto "Achando-se Avassalado pela Formosura de Jônia".

Se a ver-te de mais perto o sol descera,
No áureo carro veloz dando-te assento
Até da esquiva Dafne se esquecera:

E se a força igualasse o pensamento,
Oh alma da minh'alma, eu te of'reça
Com ela a terra, o mar, e o firmamento.

Trecho do soneto "Descrevendo os Encantos de Marília".

Em que estado, meu bem, por ti me vejo,
Em que estado infeliz, penoso, e duro!
Delido o coração de um fogo impuro,
Meus pesados grilhões adoro e beijo:

Quando te logro mais, mais te desejo,
Quando te encontro mais, mais te procuro,
Quando mo jura mais, menos seguro
Julgo esse doce amor, que adorna o pejo.

Trecho do soneto "Glosando o Mote: Morte, Juízo, Inferno e Paraíso".

Bocage para os momentos de amargura

Perdi o galardão da fé mais pura,
Esperanças frustrei do amor mais terno,
A posse da celeste formosura:

Volvei pois, sombras vãs, ao fogo eterno;
E lamentando a minha desventura
Moverei a piedade o mesmo inferno.

Trecho do soneto "Queixumes Contra os Desprezos de Sua Amada".

Inda em meu frágil coração fumega
A cinza desse fogo em que ele ardia;
A memória da tua aleivosia
Meu sossego inda aqui desassossega.

Trecho do soneto "Recordações de uma Ingrata" (com última pontuação alterada).

Razão, de que me serve o teu socorro?
Mandas-me não amar, eu ardo, eu amo;
Dizes-me que sossegue, eu peno, eu morro.

Trecho do soneto "Insuficiência dos Ditames da Razão Contra o Poder do Amor".

*

"O Delírio Amoroso & Outros Poemas"
Autores: Bocage
Editora: L&PM Pocket
Páginas: 184
Quanto: R$ 11,90 (preço promocional, por tempo limitado)
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

 
Voltar ao topo da página