Bunge está de saída do negócio de comércio de açúcar, diz CEO

A empresa que opera oito usinas no Brasil já recebeu abordagens para aquisição

Produção de cana-de-açúcar no interior de São Paulo - Folhapress
Chicago

A Bunge informou nesta quarta-feira (14) que está no processo de sair do comércio global de açúcar para se concentrar em suas operações principais de agricultura e grãos, após ter reportado prejuízo no quarto trimestre.

A empresa com sede em White Plains (EUA) havia afirmado anteriormente que estava olhando opções para alienar a sua unidade de açúcar.

A empresa está entre as líderes no processamento de cana do Brasil e opera oito usinas com capacidade combinada de aproximadamente 21 milhões de toneladas por ano, segundo informação do site da Bunge.

A Bunge tem interessados em sua unidade de trading de açúcar, afirmou o CEO da empresa, Soren Schroder.

Segundo a agência Reuters, recebeu abordagens de aquisição da rival Archer DanielsMidland (ADM) e da Glencore. A empresa rejeitou a oferta da Glencore no ano passado e recusou-se a comentar a abordagem da ADM.

Schroder, disse em uma teleconferência que a Bunge lutou durante o último ano para gerar margem para cobrir os custos do açúcar.

Os planos para vender as unidades produtora de açúcar não dependiam de a empresa manter as operações globais de comércio de açúcar, disse ele.

"Nós simplesmente decidimos que era hora de realmente se concentrar em o que é essencial para nós, que é o agronegócio, alimentos, grãos e oleaginosas, e conseguir com isso um bom caminho", disse ele.

A Bunge entrou no mercado mundial de açúcar em 2006, e desde então construiu uma forte posição na comercialização e produção de açúcar e etanol.

Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.