Twitter anuncia primeiro lucro de sua história, e ações disparam

Empresa registrou lucro líquido de US$ 91,1 milhões no quarto trimestre de 2017

Logos do Twitter aparecem em telas
Twitter teve primeiro lucro da história - AFP
Anaïs Fernandes
São Paulo

O Twitter divulgou nesta quinta-feira (8) o primeiro lucro líquido de sua história, impulsionado, sobretudo, pelo aumento das vendas de anúncios em vídeo.

A empresa registrou lucro líquido de US$ 91,1 milhões (R$ 297,8 milhões) no quarto trimestre de 2017, revertendo prejuízo de US$ 21 milhões (R$ 68,4 milhões) nos três meses anteriores e de US$ 167,1 milhões R$ 546,2 milhões) no quarto trimestre de 2016.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado no quarto trimestre de 2017 foi de US$ 308 milhões. A receita também aumentou, 2%, em relação ao ano anterior, para US$ 731,6 milhões.

Com o resultado, as ações da rede social subiam quase 15% às 16h (horário de Brasília).

Ainda assim, a empresa fechou o ano fiscal de 2017 com prejuízo de US$ 108 milhões. Para 2018, o Twitter dizer esperar lucrativo o ano todo.

"O resultado que vemos agora é reflexo de uma estratégia que o Twitter vem adotando desde o final de 2016 para refinar e simplificar a plataforma, tornando a experiência mais intuitiva e fácil para o usuário", afirma Fiamma  Zarife, diretora geral do Twitter Brasil.

Sem revelar números, ela conta que o Twitter no Brasil registrou recorde de receita no ano passado —a plataforma começou a operar no país em 2013.

Uma das principais novidades anunciadas pelo Twitter em 2017 foi o aumento do limite de 140 para 280 caracteres por postagem. O argumento para a mudança é a facilidade, já que permitira aos usuários postarem mais rapidamente, sem tanta preocupação com edições para enquadrar a mensagem no tamanho permitido.

"O Twitter é sobre instantaneidade, não sobre caracteres. E há um público que agora consegue se expressar de maneira mais fácil e confortável", diz Zarife.

Outras mudanças, ela destaca, foram o aumento da velocidade na repercussão de notícias e melhorias no sistema de notificações e na aba "explorar".

Com as alterações, o número de usuários ativos diariamente subiu 12% no último trimestre de 2017, ante 2016. O crescimento de usuários ativos mensais no período, no entanto, subiu menos (4%) em relação ao ano anterior, e manteve-se praticamente estável em relação aos três meses anteriores.

Foram 330 milhões de usuários ativos mensais no período. Os analistas esperavam, em média, 332,5 milhões de usuários, de acordo com a empresa financeira e de dados da FactSet.

A contagem dos usuários é observada de perto pelos investidores como um sinal do futuro potencial de vendas de anúncios.

"O que entregamos para o mercado publicitário, outro público estratégico, é um crescimento de audiência, e uma audiência única, qualificada", diz Zarife.

O Twitter disse que o uso foi prejudicado pela fraqueza sazonal e por uma mudança que a Apple fez no seu navegador Safari, que reduziu a conta dos usuários em 2 milhões. O Twitter havia alertado os investidores sobre os dois fatores em outubro.

Em uma carta a acionistas, o Twitter disse ainda que intensificou os esforços para reduzir spams, contas automatizadas conhecidas como "bots" e usuários falsos.

Recentemente, reportagem do "The New York Times" mostrou como uma empresa "turbinava" perfis de atletas e astros da TV com contas falsas na rede social.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.