Descrição de chapéu The Washington Post

Zuckerberg sinaliza que vai depor no Congresso dos EUA sobre escândalo

Três comitês chamaram presidente do Facebook para falar sobre utilização indevida de dados

O Facebook sinalizou que seu cofundador e presidente-executivo, Mark Zuckerberg, deporá diante do Congresso dos EUA, ao discutir com legisladores os detalhes de sua fala, disse uma pessoa familiarizada com as conversações.

Três comitês do Congresso americano convocaram Zuckerberg a depor, entre os quais o Comitê Judiciário do Senado, que o convidou a falar em 10 de abril em uma audiência sobre privacidade de dados. Não se sabe a quantas audiências Zuckerberg comparecerá e diante de quais comitês.

As audiências do Congresso foram convocadas em razão da revelação de que a consultoria de dados Cambridge Analytica teria obtido indevidamente informações pessoais sobre pelo menos 50 milhões de usuários do Facebook.

A sinalização do depoimento pesou nas ações do Facebook, que caíram mais 4,9% mesta terça (27).

Zuckerberg manteve o silêncio por quase uma semana depois que irrompeu a controvérsia sobre a Cambridge Analytica, frustrando tanto os legisladores quanto empregados do Facebook.

Em entrevista à rede de notícias CNN há uma semana, ele respondeu a uma pergunta sobre a possibilidade de depor dizendo que, "se for a coisa certa a fazer, deporei alegremente".

Ele acrescentou que em muitos casos fazia mais sentido enviar especialistas sobre o assunto para depor, em sua opinião. "O que descobrimos até agora, creio, é que tipicamente existem pessoas cujo trabalho todo tem por foco uma determinada área, mas consigo imaginar que surja um tópico no qual eu seja a única autoridade. E nesse caso faria sentido que eu fosse, e eu o faria alegremente."

REINO UNIDO

Nesta terça (27), o Facebook optou por não enviar Zuckerberg para depor diante de um importante comitê parlamentar do Reino Unido que investiga o mesmo assunto e o convidou a comparecer a uma audiência. O presidente do comitê, Damian Collins, havia acusado o Facebook anteriormente de "subestimar os riscos" quanto aos dados que mantêm sobre os usuários --e de não revelar se informações foram recolhidas sem o seu consentimento.

O Facebook, em carta a Collins, optou por enviar dois vice-presidentes para depor no lugar de Zuckerberg --Mike Schroepfer, vice-presidente de tecnologia, e Chris Cox, vice-presidente de produtos. Cox deve depor nas próximas semanas.

Um dos comitês do Congresso dos EUA que pediram que Zuckerberg deponha, o Judiciário do Senado, também solicitou que os líderes do Google e do Twitter se unissem ao presidente-executivo do Facebook em um audiência em abril cujo foco amplo serão as práticas de proteção de privacidade de dados das empresas do Vale do Silício.

Mas os legisladores até agora não informaram se pretendem tomar a rara decisão de intimar Zuckerberg a comparecer para depoimento.

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Washington Post
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.