Brasil assume liderança mundial na produção de soja, segundo EUA

No período 2018/19, Brasil deverá desbancar os Estados Unidos, até então líderes mundiais

Colheita de soja no interior de São Paulo
Colheita de soja no interior de São Paulo - Folhapress
MAURO ZAFALON
São Paulo

O Brasil passa a liderar a produção mundial de soja a partir da próxima safra. No período 2018/19, o país deverá desbancar os Estados Unidos, até então líderes mundiais. A previsão é do próprio governo americano e foi divulgada hoje (10) pelo Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).Na avaliação do órgão norte-americano, o Brasil deverá obter uma produção de 117 milhões de toneladas de soja, um pouco acima dos 116,5 milhões dos americanos.

Os produtores dos Estados Unidos já iniciaram o plantio da safra 2018/19. Os brasileiros vão levar as máquinas ao campo só no segundo semestre do ano.

Clima e produtividade são fundamentais para a concretização dessa estimativa de liderança do Brasil. As previsões ainda vão alternar muito durante o desenvolvimento das lavouras.

Se o país conseguir superar os norte-americanos, a soja se somará a café, suco de laranja, açúcar e carne bovina, produtos que o país já tem a liderança mundial na produção.

O Brasil já é o maior exportador de soja do mundo, graças ao apetite chinês. Na safra 2018/19, os chineses deverão importar 103 milhões de toneladas de soja e os brasileiros vão exportar 72 milhões.

Brasil, Estados Unidos e Argentina, líderes mundiais, ainda precisam definir as áreas de plantio da oleaginosa, mas, com base nos dados atuais, o Usda prevê uma safra mundial de 354,5 milhões de toneladas de soja, acima dos 337 milhões de 2017/18.

A Conab também divulgou dados sobre a produção de soja no Brasil nesta quinta-feira (10). Na avaliação do órgão governamental, a produção nacional será de 117 milhões nesta safra 2017/18, 2 milhões a mais do que estava previsto em abril último.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.