Estradas seguem com 566 bloqueios parciais, 30 a menos que de manhã

O ministro Raul Jungmann afirmou que 37 inquéritos já foram abertos

Cinco ministros sentados com o logo do governo estampado na parede ao fundo
Ministros da Segurança Pública, Raul Jungmann, da Secretaria de Governo, Carlos Marun, da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Defesa, Joaquim Silva e Luna, e do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira (25) - Wilson Dias/Agência Brasil
 
Talita Fernandes Laís Alegretti
Brasília

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que havia 566 bloqueios parciais de manifestações de caminhoneiros em rodovias na noite deste sábado (26).

O número é pouco menor do que os 596 bloqueios divulgados às 11h30 de sábado pela Polícia Rodoviária Federal. Foram liberados, até agora, 524 pontos.

Jungmann afirmou que a Polícia Rodoviária Federal utilizou a tropa de choque para liberar seis bloqueios de caminhoneiros em rodovias em todo o país.

De acordo com o governo, grande parte das estradas já foram liberadas:

São Paulo - 97% das vias liberadas (1 interditada e 40 liberadas)
Rondônia - 69% das vias liberadas
Ceará - 62% das vias liberadas
Bahia - 64% das vias liberadas

O ministro disse, ainda, que 37 inquéritos já foram abertos pela Polícia Federal em 25 estados para apurar ações de locaute na paralisação dos caminhoneiros.

"Nós temos sim mandados de prisão, por isso que eu digo que prisões vão ocorrer. Não saberia dizer que já ocorreram", afirmou.

​A prática de locaute é ilegal e caracterizada pela apropriação por parte de empresários dos atos de trabalhadores para atender aos seus interesses comerciais.

De acordo com o ministro, que comanda administrativamente a PF, a instituição vai convocar os responsáveis envolvidos dos atos investigados para prestarem depoimentos.

Jungmann disse ainda que a Polícia Rodoviária Federal já registrou 400 autos de infração apenas pela PFR, na aplicação de multas de trânsito que somam o valor de R$ 2,33 milhões.

Esse montante não inclui as multas que serão aplicadas por determinação judicial após o STF (Supremo Tribunal Federal) ter autorizado a aplicação de penalidade de R$ 100 mil por hora para aqueles que obstruírem vias. 

"Os responsáveis estão sendo convocados para prestar depoimentos e vamos exercer no limite da lei, fielmente, em tudo aquilo que ela prevê como pena para aqueles que comprovarem locaute."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.