Movimento de caminhoneiros pode prejudicar a economia de forma relevante, diz Guardia

Para ministro da Fazenda, continuidade da greve já afeta vários setores

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, em Brasília - Pedro Ladeira/Folhapress
Maeli Prado Julio Wiziack
Brasília

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta sexta-feira (25) que, se persistir, a paralisação dos caminhoneiros tem potencial de prejudicar a economia de forma relevante. 

"A persistência essa situação pode levar à paralisação de atividades empresariais, industrais. A continuidade dessa paralisação é altamente preocupante", afirmou o ministro, após reunião com secretários da Fazenda estaduais no Palácio do Planalto.

De acordo com ele, a equipe econômica ainda não tem uma conta desse impacto.

"Não tenho impacto, porque pode afetar diversos setores, como já está afetando. É uma situação de extrema gravidade que tem impacto muito relevante na economia e na vida de várias pessoas", afirmou.

Ele declarou que o movimento não prejudica somente o abastecimento de bens.

"As pessoas sem transporte não conseguem continuar com suas atividades, se isso persistir, evidentemente que o impacto deve ser relevante. Por isso a preocupação do governo, por isso todas as medidas que já foram adotadas", disse. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.