Descrição de chapéu greve dos caminhoneiros

Prioridade de governo é desobstruir acesso de combustível a aeroportos e termelétricas

A partir de publicação de decreto, nesta tarde, Forças Armadas estão autorizadas a remover caminhões

Brasília

​​O presidente Michel Temer publicará na tarde desta sexta-feira (25) decreto que autoriza agentes do Exército, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional e Polícia Militar a desobstruir rodovias, inclusive entrando nos caminhões para retirá-los até mesmo dos acostamentos.

De acordo com assessores do governo, a prioridade é desobstruir o acesso de combustível a duas termelétricas no Norte do país e seis aeroportos, entre os quais Confins, Brasília, Porto Alegre, Congonhas e Recife. 

O presidente informou os governadores da decisão para que eles acionem suas polícias militares.

Temer conversou com aliados e foi aconselhado a exercer sua autoridade depois que caminhoneiros descumpriram acordo firmado na quinta-feira (24) por parte da representação da categoria.

Houve quem ponderasse que as Forças Armadas não teriam estrutura suficiente para remover os caminhões parados.

No entanto, venceu a tese de que o simbolismo da atuação dos militares era importante.

A decisão de fazer um pronunciamento ocorre depois de o governo ter convocado uma reunião de emergência na manhã desta sexta-feira em virtude do descumprimento.

O encontro foi chamado inicialmente pelo ministro Sergio Etchegoyen, do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), e contou com a participação de ministros da Defesa, Segurança Pública, Transportes, Ministério de Minas e Energia, Fazenda, Casa Civil e Advocacia-Geral da União. Embora sua presença não estivesse prevista, Temer participou. 

Mais cedo, diante da continuidade das paralisações, Padilha disse que o governo confia no cumprimento por parte dos caminhoneiros.

Questionado sobre se o Palácio do Planalto pode voltar atrás da decisão dos pontos acordados, como subsidiar o preço do diesel para dar previsibilidade para os caminhoneiros, o ministro respondeu que o governo está fazendo sua parte.

"Quando se faz um acordo se tem como pressuposto que todos vão cumprir. Nós estamos cumprindo e vamos cumprir tudo."

Letícia Casado, Talita Fernandes e Daniel Carvalho
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.