Descrição de chapéu google

Novos produtos do Google miram a classe C, crianças e idosos

Celulares com Google Go custarão a partir de R$ 300 e Maps avisará tempo de demora do ônibus

Marcelo Soares
São Paulo

O Google anunciou nesta quinta-feira (7) diversos novos produtos para ampliar a acessibilidade digital no Brasil. No evento Google for Brasil, promovido no auditório do Ibirapuera, o que há em comum na maior parte das iniciativas é o uso de inteligência artificial para aumentar a eficiência dos aparelhos.

Uma das principais novidades é uma linha de smartphones para chegar ao que a empresa chama de “o próximo bilhão” de usuários. São pessoas de mais baixa renda, que têm pouco acesso a planos de dados e aparelhos caros e que estão menos acostumadas a digitar palavras. Precisam usar mais a voz e o toque.

Segundo dados do IDC, em 2017 foram vendidos no Brasil cerca de 10 milhões de smartphones com menos de 1 GB de memória RAM. São mais de um quinto das 47,7 milhões de unidades vendidas. Todos esses aparelhos rodam Android e estão entre os mais baratos do mercado, mas têm menor poder de processamento e armazenamento.

Em parceria com três fabricantes de celulares, dois deles brasileiros (Positivo, Multilaser e Alcatel), começarão a ser lançados nesta semana aparelhos custando a partir de R$ 300. Eles rodam o sistema operacional Android Go, que será lançado com todas as versões do sistema a partir da Oreo, a atual. O software ocupa espaço menor no aparelho, liberando armazenamento para que o usuário não precise apagar tantas fotos, vídeos e músicas.

Os primeiros aparelhos, como o Positivo Twist Metal, já são oferecidos nos sites de comércio eletrônico. Os preços devem ser a partir de R$ 300. Aparelhos já existentes não poderão ser atualizados para a nova versão do sistema, que depende de especificações diferentes de engenharia, segundo Arpit Mitha, responsável pelo projeto. A meta é que essa linha possa ser a porta de entrada do usuário aos smartphones, substituindo os celulares mais simples.

Para acompanhar os aparelhos, a empresa criou uma linha de aplicativos, a “Go”, que utiliza inteligência artificial para otimizar tarefas comuns. O “Files Go”, por exemplo, identifica arquivos que podem ser apagados para liberar espaço no telefone. O “Google Go” é uma interface muito simplificada de busca, que dispensa a digitação. São oferecidos ao usuário os termos de busca mais frequentes e, ao escolher um, é possível entrar no detalhamento. Aplicativos populares brasileiros deverão ter versões para essa linha.

O sistema também inclui uma nova camada de segurança, que pode identificar quem liga e avisar se quem está ligando é alguma empresa de telemarketing. Um aplicativo oferecido, o Play Protect, permite travar o celular à distância em caso de roubo e, caso o dono prefira, até apagar todos os dados.

A VOZ DO DONO

Devido à forte adoção do Google Assistente (o “OK, Google”) por parte dos brasileiros, Brad Adams, líder do projeto, diz que o português já é a segunda língua mais usada no aplicativo, ficando atrás apenas do inglês. O uso da voz para controlar o aparelho facilita que crianças e idosos possam acessar serviços digitais.

Na conferência, Adams anunciou novas integrações, que permitem controlar aplicativos que não são do Google, como o Spotify e o Whatsapp. Dentre os nacionais, ele já permite pedir comida (via iFood), uma viagem de carro (via 99) e ouvir notícias de sites de algumas empresas brasileiras – a Folha não participa do projeto. Uma operadora de celular, a Vivo, já permite algumas consultas, como o saldo, por meio do assistente.

Futuramente, a ideia do projeto é permitir que pagamentos sejam feitos usando a voz. “O céu é o limite para o que estas integrações podem realizar”, disse Adams.

A empresa também lançou serviços específicos para a Copa do Mundo e as eleições. O da Copa, criado por engenheiros brasileiros, permitirá acompanhar os jogos ao vivo, mantendo o placar flutuante na tela, e assistir aos melhores momentos dos jogos assim que eles acabarem. O de eleições permitirá pesquisar as candidaturas registradas no Tribunal Superior Eleitoral e facilitará que candidatos informem suas propostas. Tradicionalmente, esses tipos de informação costumavam ser oferecidos por empresas de mídia e apenas encontrados por meio de buscas.

EMPREGOS E RODÍZIO

Segundo Berthier Ribeiro-Neto, diretor de engenharia do Google, a situação econômica do Brasil fez com que, em apenas quatro meses, o serviço de busca de anúncios de emprego fosse acessado por milhões de brasileiros. Ele reúne vagas disponíveis em vários sites de anúncios. Mais da metade dos acessos foi feita via celular.

No Google Maps, a novidade é que ele está preparado para oferecer caminhos ao motorista de acordo com o dia do seu rodízio. Caso o usuário vá de transporte público, ele informa quanto tempo o ônibus deve demorar e, se estiver usando fones para ouvir música durante a viagem, avisa quando está chegando o ponto final. Gayathri Rajan, VP do Google Maps, mostrou também o novo serviço de recomendações locais. É possível convidar amigos para ir a algum bar e eles podem votar se acham que vale ou não a pena.

Erramos: o texto foi alterado

É a Alcatel, e não a Anatel, uma das fabricantes de celulares que fecharam parceria com o Google.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.