Temer vai pedir à China mais espaço para exportação de derivados de soja

Governo brasileiro pedirá também eliminação de sobretaxas sobre o frango

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Presidente da China na abertura do 10º encontro do Brics, na África do Sul
Presidente da China na abertura do 10º encontro do Brics, na África do Sul - AP Photo/Themba Hadebe
Joanesburgo

O governo brasileiro vai pedir à China uma cota para a exportação de derivados da soja. O tema está na pauta de encontro bilateral que ocorre nesta quinta (26), no qual o Brasil pedirá também a eliminação de sobretaxas sobre o frango brasileiro para o mercado chinês.

O encontro ocorrerá em Joanesburgo, na África do Sul, onde o presidente Michel Temer chegou na tarde desta quarta (25) para participar da décima cúpula do Brics (bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e o país anfitrião). Temer se encontrará com o presidente chinês, Xi Jinping pela manhã.

Segundo o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a ideia é pedir uma cota de cinco milhões de toneladas por ano para exportações de farelo e óleo de soja à China. Atualmente, o Brasil exporta cerca de 60 milhões de toneladas de grãos por ano para aquele país, mas não vende derivados.

Em abril, à China anunciou a taxação de soja americana, em retaliação a barreiras criadas pelo governo Trump a produtos chineses. A proposta brasileira tem como objetivo substituir parte da produção dos Estados Unidos.

Maggi disse que, embora as avaliações iniciais indiquem que os produtores brasileiros de soja se beneficiem com a guerra comercial entre China e Estados Unidos, a perspectiva de queda nos preços a partir de excedentes da produção americana pode gerar perdas no longo prazo.

No encontro, o governo vai tentar também convencer os chineses a eliminar sobretaxas sobre o frango brasileiro, impostas no início de julho sob a acusação de dumping. “Não fazemos dumping. Somos muito competitivos”, afirmou Maggi, em entrevista no hotel ontem a comitiva está hospedada.

Desde junho, empresas chinesas que compram carne de frango do Brasil são obrigadas a depositar de 18,8% a 34,4% do valor das exportações.

O Brasil tentará ainda um encontro com o governo russo para discutir embargos à carne de porco brasileira, estabelecidos no fim de 2017. Ainda não há, porém, reunião agendada entre os dois países.

A agenda de Temer em Joanesburgo inclui, além de sessões oficiais da cúpula dos Brics e do encontro com Xi Jinping, uma reunião com o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.​

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.