Escritório do banco dos Brics em SP intensificará projetos no Brasil, diz executivo

Expectativa é inaugurar a unidade até o início de 2019

Nicola Pamplona
Joanesburgo

O vice-presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (o banco dos Brics, bloco que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), Sarquis José Buainain Sarquis, disse nesta quinta (26) que a abertura de um escritório em São Paulo vai intensificar a preparação de projetos de investimento no Brasil.

O novo escritório foi aprovado oficialmente nesta quinta (26), em memorando de entendimento assinada na décima cúpula do Brics em Joanesburgo, na África do Sul. Será a segunda sede regional do banco, que é baseado na China - a outra fica na África do Sul.

"O escritório em São Paulo irá intensificar a preparação de projetos no Brasil, tanto do setor público quanto do setor privado", disse Sarquis, em entrevista após a assinatura do memorando. A expectativa é inaugurar a unidade até o início de 2019.

O banco foi criado para reforçar as fontes de financiamento aos países membros do Brics. Até o momento, aprovou US$ 5,7 bilhões (R$ 21,2 bilhões, ao câmbio atual) em financiamentos, a maior parte para obras de infraestrutura, saneamento e transporte público.

Sarquis diz que a previsão é finalizar o ano com US$ 7 bilhões (R$ 26,1 bilhões) aprovados. Segundo ele, a unidade brasileira terá como uma das missões começar a captar e conceder recursos em moeda local - até agora, os financiamentos no país são em dólar.

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) disse que a abertura do escritório brasileiro permitirá uma maior aproximação com empresas do país. "Na prática, essa aproximação contribuirá para que as empresas busquem financiamento para projetos de infraestrutura voltados ao desenvolvimento sustentável", afirmou a entidade, em nota.

Em, seu discurso durante o evento, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu a instalação de um escritório também em seu país. Também presente ao evento, o indiano KV Kamath falou da possibilidade de admissão de novos membros à instituição.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.