Ninguém ganha em uma guerra comercial, diz premiê da China

Estados Unidos e a China anunciaram tarifas sobre US$ 34 bilhões em importações um do outro

O premiê chinês Li Keqiang em cerimônia em Sofia, na Bulgária
O premiê chinês Li Keqiang em cerimônia em Sofia, na Bulgária - Stoyan Nenov/Reuters
Sofia (Bulgária) | Reuters

Ninguém ganhará com uma guerra comercial, afirmou nesta sexta-feira (6) o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, horas depois de os Estados Unidos e a China adotarem tarifas sobre US$ 34 bilhões em importações um do outro.

"Uma guerra comercial nunca é uma solução", disse Li em entrevista à imprensa com o premiê búlgaro, Boyko Borissov, em uma cúpula em Sofia.

"A China nunca iniciaria uma guerra comercial, mas se qualquer lado recorrer a um aumento de tarifas, então a China adotará medidas em resposta para proteger os interesses", afirmou.

O Ministério do Comércio da China, em comunicado pouco depois do prazo dos EUA, afirmou que foi forçado a retaliar, o que significa que 34 bilhões de dólares em produtos dos EUA importados, incluindo automóveis e produtos agrícolas, também serão sobretaxados em 25%.

Horas antes do prazo de Washington para que as tarifas entrassem em vigor, o presidente americano, Donald Trump, aumentou o tom, alertando que os EUA poderiam visar mais de US$ 500 bilhões em produtos chineses, ou o volume total das importações norte-americanas da China no ano passado.

Li afirmou que ninguém sairá vencedor de uma guerra comercial.

"Isso não beneficia ninguém e vai prejudicar o processo multilateral de livre comércio", disse ele. "Se alguém insistir em realizar uma guerra comercial, afetará outros e a si mesmo."

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.